sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Aniversário de Giselle Veloso


Rostinho de garotinha...sorridente! Sorriso fácil, digo natural, é o que podemos sentir em Giselle. E disposição para a vida. Alias, a disposição para a vida, que aqui frisamos, é tudo o que precisamos. Eu vim, disse Jesus Cristo, para que todos tenham vida, e a tenham com abundância. Nos mostra o Evangelho de São João. É para isso que estamos por aqui...! Não sabemos por quantos dias, mas, viver, é a missão.

De todos os povoados, do município de Bacabal vieram pessoas, para o abraço dos parabéns, além de amigos de São Luís, Teresina e São Mateus.

De todos os momentos, podemos tirar lições, isso é o que mais levo em conta, onde quer que eu esteja para registrar algum momento. A amizade é a riqueza mais valorosa que conheço, porque, é o resultado de um esforço que fazemos em prol de alguém. Assim, meus amigos(a), denunciam o que eu procuro ser para eles(a). Não é próprio de mim, elogiar, talvez seja um defeito, mas, é provável que Giselle seja muito rica...de amigos.

A matéria está em andamento, aguarde.









quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Tomar posse da bênção...!


O que pode significar isso? Muitos, provavelmente, escrevem sem se dá conta. Mas, é bom explicar.
Passamos a maior parte do tempo, pedindo algo, a Deus, quando na realidade, nem sequer acreditamos de verdade. Nem eu e nem você, acredita tanto, como costumamos pregar. E se alguém contestar isso, então Jesus Cristo deve ter cometido um equívoco, quando por várias vezes, chamou os seu discípulos de "pobres de Fé".

Pedimos, recebemos, e na maioria das vezes não percebemos que somos atendidos, porque acreditamos, que o que nos veio, foi por acaso, coincidência, e outras coisas. 

A falta da fé nos deixa a vida toda numa dúvida que não tem fim. A insatisfação toma conta  de nós, e às vezes fingimos ser Crentes. E nos iludimos para disfarçar nossas frustrações, que são tantas. O tomar a posse da bênção, pode não passar de disfarce de nossas dores.

Mas, o que seria isso? digo, tomar a posse...da bênção...?

Quando Pedro, o discípulo, Simão Pedro, viu o fantasma, que não era um fantasma, porque ficou sabendo que se tratava de Jesus Cristo, pediu para ir, também, andando sobre as águas, talvez para sobressair aos colegas...e Jesus, percebendo tudo, o permitiu: vens...eu permito. E a empolgação, misturada a um pouco de confiança, o empurrou, e caminhou, um pouco, até perceber que algo fora do comum estava acontecendo. Ele estava andando sobre as águas...e teve medo. Medo normal, para qualquer um de nós, inclusive, quando nos alto intitulamos de "crentes". Mas, não prosseguiu. Não tomou a "posse da bênção".

A Fé, da qual Jesus Cristo falou, está longe do nosso alcance, porque, como disse o rei Salomão, em sua oração, para adquirir a sabedoria, "tímidos são os pensamentos dos mortais, e incertas as nossas concepções, porque o corpo corruptível torna pesada a alma, e morada terrestre oprime o espírito carregado de cuidados.

Estamos, a todo instante recebendo as bênçãos, da vida cheia de mistérios. Nossos dias são cheios de turbulência, porque somos inteligentes, e não temos o domínio de tudo. E do pouco que acreditamos ter, não controlamos, porque, quando visualizamos o ponto de chegada, nossa vista embaça, e não sabemos se chegamos, porque, quando atingimos o marco, percebemos, que mais ali, aprece outro. E o temor de Deus, mais cedo ou tarde, é o que nos faz prosperar. 

Um bom dia! Uma boa tarde! Ou, uma boa noite!

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Tabela de Jogos-Medeiros


A Copa Medeiros, que teve início no Domingo próximo passado, apresenta a Tabela dos Jogos, e convida a população de Bacabal a prestigiar. Sem o público, que valoriza com sua presença, nem um evento, que visa chegar ao povo, tem sucesso.





Podemos aproveitar nosso dia!


Na correria do dia a dia, lutando para atender compromissos, nos falta, muitas das vezes, atenção para com os problemas dos outros. Até porque, às vezes se adere a filosofia, de que, cada um com seus problemas. Só esquecemos, que, quando estamos com problemas, na maioria das vezes, não sabemos como resolver, e queremos ajuda. Assim, os outros também, querem, e muitas das vezes nos pedem...e aí? cada um seus problemas, ou, se posso ajudar a resolver o problema do outro, não é bom que o faça? O "É dando que se recebe", e o "Amai-vos uns aos outros, é menos importante, que a filosofia do "cada um com seus problemas"?

Um bom dia...! Podemos ajudar para um mundo melhor!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Porque o senhor(a) que ser deputado(a)?





O Blog do Jeremias pergunta a cada candidato(a) a deputado(a): Porque o senhor(a) quer ser deputado(a)?

Ao longo de muito tempo, o povo brasileiro tem escolhido, através do voto, seus "Representantes", que, na maioria das vezes, infelizmente, não representam, pelo menos, não o povo.

Em virtude da descrença, em relação a isso, a responsabilidade da Imprensa em ajudar , na mudança desse quadro, torna-se, cada vez maior, uma vez que, Imprensa, assim como Políticos Partidários, são parte do povo. Somos todos parte de uma população, de forma que, se algo não vai bem, não é culpa de uma só pessoa ou de uma só classe, mas de todos nós.


Cabe aos representantes, juntamente com os representados, assim como, a todos os segmentos de uma sociedade, buscar soluções. Não queiramos, nós o povo, aceitar ser escravo, e nem escravizar. A luta pela liberdade seja nossa principal missão.  

Bom Dia...! Que Deus nos abençoe. 

O candidato a deputado federal, Zé Carlos reis responde:




O candidato a deputado estadual, Zorro, responde:


O candidato a deputado federal, Jansen Penha, responde:


O candidato a deputado federal, Ilton Viana, responde:


O candidato a deputado estadual, Irmão Leal, responde:


O candidato à reeleição, a deputado estadual, Roberto Costa
responde:


O candidato a deputado estadual, Erivelto Martins, responde:




A candidata a deputada estadual, Liduina,
responde:



O candidato a deputado federal, Luizinho
da casa dos padeiros, responde:



O candidato a deputado federal, Florêncio Neto,
responde:


O candidato a deputado estadual, Chagas Araujo,
responde:


Nosso propósito é perguntar a todos os candidatos, sobretudo, os de Bacabal. Mas, no caso de alguém, dentre os nobres candidatos, se negar a responder, é direito seu. O que não significa que o povo perca o direito em ouvir as respostas.

Respondendo o que questionou uma candidata, não distorceremos a nenhuma resposta. Não é este o papel da verdadeira Imprensa. Primamos pela verdade, porque, mentir é crime, e mentir, envolvendo o povo, é crime grave. É o que alias, fazem muito, os nossos "representantes". Aqueles mesmos que elegemos, que ao usar um palanque, disseram o que hoje, os candidatos, a ocuparem os cargos dos que sairão, dizem. 

Perguntar porque o candidato quer ser deputado, não é uma afronta. Afinal, eles estão pedindo nosso voto, o poder que temos, e que usaremos em benefício deles. E o que queremos, é que ele nos falem. No caso do Blog do Jeremias, que sugere a resposta, não aceita o discurso do palanque como tal, porque já ouvimos muitos discursos...que morrem no comício de encerramento, três dias, antes da eleição.

Como Fotógrafo, e blogueiro, e sobretudo, como povo, sei que devo muito, porque, muitas vezes deixo de me empenhar, à altura do que nossa gente precisa. Mas...quero pagar! Cumprindo meu dever. 

Muito Obrigado...!

Porque o povo precisa se livrar do Poder Público


Na realidade, precisamos de uma Reforma no Poder, mas, como nós não sabemos como reformar, ou encontrarmos um caminho, que nos leve a uma harmonia com ele, então é preciso que nos livremos, a menos que nos agrade ser escravos e pedintes.

Mas, em 1888, mais precisamente, no dia 13 daquele ano, a Princesa Isabel, assinou a Abolição da Escravatura, e nossos antepassados, mais ou menos da 5ª geração antes da nossa, não estavam gostando, tanto que aconteciam as fugas, que eram inibidas pelos famosos Capitães do Mato. Isto me leva a crer, que ninguém gosta de ser escravo. Por isso é melhor que nos livremos, ao primeiro sinal de ameaça.

Quais os sinais de ameaça de escravidão?

Todas as vezes, que um candidato pede nosso voto, pode se caracterizar uma ameaça. No entanto, se chamarmos a Polícia, e contarmos que estamos correndo riscos, o policial que nos atender, pode não nos entender e nos levar, acreditando que se trata de um distúrbio mental. Então, não vamos incomodar a Polícia, ao invés disso, vamos fingir que não estamos com medo do candidato, e dizer logo: vou votar no senhor(a). Aí ele(a), não vai insistir.

Senhores(a), caminhar com os próprios pés, é nosso dever e obrigação. Não queiramos incomodar os nossos ilustres "representantes". O prefeito não vai poder caminhar com nossos pés, porque, coitado dele, ele já trabalha para a família, e os seus mais próximos aliados, até porque, família e aliados não largam dele, e por isso, quando eu você vai lá, não vamos, na maioria das vezes, nem ver o cidadão, digo, o prefeito.

Mas, falar mal do prefeito porque? fomos nós quem o colocamos, se ele está errado, somos nós, quem estamos.

Unamos-nos, em grupos, tipos Sindicatos e Associações! Atentemos para as nossas necessidades! Juntos temos poder, prova disso é que, com o nosso poder, elegemos os nossos "Representantes", e logo, por nossa negligência, os transformamos em carrascos.

Abertura da Copa Medeiros






Teve início nesse Domingo, ontem portanto, a 1ª Copa Medeiros Sub- 17 com patrocínio da marca Frimesa.

O Evento, que durará dois meses, teve sua abertura marcada pela empolgação. Mais de 130 jovens jogadores, marcaram presença no Estádio Correão, local onde acontecerá os jogos.

Dos nove times esperados, oito compareceram, e jogaram, a título de apresentação, durante 15 minutos. Alto Alegre do Maranhão, uma das cidades inscritas, por motivo, para nós desconhecido, não compareceu. 

No torneio início, jogando São Mateus contra Brejinho, venceu São Mateus, conquistando assim, seu primeiro Troféu do Campeonato.

A escala dos jogos será divulgada neste Blog, assim que for liberada para a Imprensa. 






Adicionar legenda

sábado, 13 de setembro de 2014

Política Partidária...! Muito interessante !


Vale a pena ler...

O candidato, para tirar a foto do cartaz, da campanha, vai a um Studio...se possível na capital, tira 50 fotos, para escolher,  talvez, uma, se o fotógrafo tiver num dia de sorte. Sorrir de frente, de lado, mostrando os dentes, ou não, ergue o  busto....e por aí vai, e nem começou a campanha ainda.

Durante a campanha, a história muda: Se contrata cabos eleitorais, por uma boa quantia, que saem à procura de eleitores...a qualquer preço. O candidato sai em busca do voto. Em uma carroceria de um caminhão, numa carroça, num jumento, entra em todas as casas, bebe água do pote, come feijão numa cuia, visita as quebradeiras de coco, e lá, pega um machado, tenta quebrar também, fala que foi criado(a) quebrando coco...e que vai ajudar todo mundo. E impressiona...a ponto de as pessoas,  lá do interior, se admirarem, e se sentirem muito bem, só porque o "doutor(a), entrou em sua casa, abraçou, beijou...deu até um bom dinheiro. Claro, que muito pouco para ele, mas, para o morador, que recebeu, num dia que não tinha nada, foi muito dinheiro. 

Pois sim, o doutor ainda fez promessa: quando passar as eleições, vai buscar o seu joão, ou dona Maria para passar um dia com ele(a)...

Não termina por aí, claro que não. Todos nós, sabemos que agora que vai começar. Se não é do doutor, a campanha, pode mudar um pouco: Pode ser mais criativo. Pode vestir uma roupa exótica, colocar uma máscara, pode se vestir de palhaço, pode fazer um discurso, falando de valentia, falar que com ele, o mundo pega fogo, etc...

Senhores(a), escrevi isso, só para  expressar o quanto me impressiono com, o esforço que os candidatos fazem, e só para "ajudar" as pessoas. Claro, que ainda deve acontecer...a ajuda, porque, eu nunca vi, meu pai não viu, meu avô, também, não. Mas, se eu começar a fazer minha parte, hoje, pode ser que meu neto, ou meu bisneto, veja acontecer. Se eu só criticar, pode ser que eu faça muitas pessoas sorrirem, das minhas críticas, mas nada mudará. 


Como seria o bom candidato...?
De máscara?
De Super Homem?
De Incrível Hulk?
De Mulher Maravilha?
De Professor(a)?
Vestido de Anjo? Padre, Freira, Pastor...ou sei lá o que...?
Eu também, como você, que questiona, quero saber qual o bom, e como reconhecê-lo(a)

Senhores(a), me recordo da história de um rei do povo de Israel, chamado Salomão. Diz a Bíblia, que foi o rei mais sábio e mais rico de todos os tempos. Que construiu um Templo, na cidade de Jerusalém, e depois de construído fez uma oração bem longa, para pedir a sabedoria, e também, pedindo, que todos quantos fossem àquela casa, para ser julgado, que  fosse feito com justiça. 

Já escrevi muitas vezes sobre o rei Salomão, quando escrevi sobre política partidária. Fico indignado, quando alguém me oferece algo, em forma de promessa: Quando eu ganhar...vou te ajudar. Minha vontade, sinceramente...não posso escrever aqui, porque seria um desrespeito com quem acessa este humilde Blog. Não vou dizer, o que eu gostaria de dizer. Mas, certamente, o candidato, que por ventura, vier a ler isso, não me faça promessa, e nem me elogie, em troca de voto para ajudar ele se dá bem. Digo, se eleger  para "ajudar" o mundo todo...a se irritar com ele e com todos os outros anjos...,do mal.

No dia em que  pessoas se organizarem, em uma associação qualquer...dispostos a caminharem com com os próprios pés...cada um servindo de apoio para o outro...dispostos a ajudarem, e não a pedirem esmola aos políticos partidários. Dispostos a reconhecerem o poder que têm, e dele fazerem uso, para o bem da classe...então, o povo pode encontrar um representante no meio do próprio povo. Enquanto isso não acontecer, nos venderemos, e venderemos nossos filhos e netos, e mais gerações nossas aos senhores, que nós mesmos construímos...! Continuaremos escravos. 

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

2ª Missa do Vaqueiro e Cavalgada com Muladeiros do Lago


Foto da Cavalgada de São Raimundo, em Bacabal. Em 24 08 14

A  2ª Missa do Vaqueiro, em Lago da Pedra, será em 28 de Setembro próximo, e contará com a participação dos amantes das Muladas, conhecidos como Muladeiros do Lago. O evento  terá a participação dos Cavaleiros e Amazonas da cidade, região circunvinha, e  Sindicato Rural da cidade de Bacabal.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

MUDANÇA NO REGIME DE BENS DO CASAMENTO NÃO TEM EFEITO RETROATIVO



A mudança do regime de bens do casamento produz efeitos a partir do trânsito em julgado da decisão judicial que a homologou. Esse foi o entendimento da 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça ao analisar recurso de um ex-marido contra decisão que determinava que a divisão dos bens observasse o regime de comunhão parcial desde a data de seu casamento.
Ao analisar o Recurso Especial, o ministro Paulo de Tarso Sanseverino (foto) afirmou que o STJ tem precedentes sobre a possibilidade de alteração do regime de bens nos casamentos oficializados sob o Código Civil de 1916. Para a 3ª Turma, a decisão que homologa a alteração começa a valer a partir do trânsito em julgado, e os fatos anteriores seguem o antigo regime de bens.
Alteração
Na ação de separação, a ex-mulher afirmou que, em maio de 1997, depois de três anos de união — período em que o casal teve um filho —, ela e o ex-marido se casaram e adotaram o regime de separação de bens. Depois disso, pediram a alteração para o regime de comunhão parcial. O pedido foi aceito em julho de 2007. Um ano depois, iniciou-se o processo de separação.
Em primeira instância, foi determinado que a divisão dos bens observasse o regime de comunhão parcial desde a data do casamento. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve a sentença nesse ponto.
Em recurso ao STJ, porém, o ex-marido alegou ofensa ao artigo 6º do Decreto-Lei 4.657/42, já que a norma vedaria a retroação dos efeitos da alteração do regime de bens até a data do casamento. Ele afirmou também que os artigos 2.035 e 2.039 do Código Civil foram violados, pois a nova legislação, a ser imediatamente aplicada, não atinge os fatos anteriores a ela, nem os efeitos consumados de tais fatos.
Segundo o ex-marido, a nova lei pode modificar apenas os efeitos futuros dos fatos anteriores à sua entrada em vigor. Assim, o regime de bens nos casamentos celebrados sob o Código Civil de 1916 seria aquele determinado pelas regras em vigor na época. De acordo com ele, o Judiciário está autorizado a homologar a alteração do regime de bens, mas não pode determinar que seus efeitos retroajam à data da celebração do casamento.
Trânsito em julgado
O ministro Sanseverino afirmou que o Código de 1916 estabelecia a imutabilidade do regime de bens do casamento, mas que o CC de 2002, no artigo 1.639, parágrafo 2º, modificou essa orientação e passou a permitir a alteração do regime sob homologação judicial. Essa permissão gerou controvérsia na doutrina e na jurisprudência.
O primeiro ponto controvertido foi a aplicabilidade imediata da regra. Sobre isso, o STJ entendeu pela possibilidade de alteração do regime de bens dos casamentos celebrados na vigência do CC de 1916. O segundo ponto foi a fixação do termo inicial dos efeitos da alteração: se a partir da data do casamento, retroativamente (eficácia ex tunc), ou apenas a partir do trânsito em julgado da decisão judicial a respeito (eficácia ex nunc).
Essa questão, segundo o ministro, ainda gera polêmicas. O acórdão do TJ-MT afirmou que o regime de bens do casamento deve ser único ao longo de toda a relação conjugal. Por outro lado, disse Sanseverino, o principal argumento em defesa da eficácia ex nunc é que a alteração de um regime de bens — o qual era válido e eficaz quando estabelecido pelas partes — deve ter efeitos apenas para o futuro, preservando-se os interesses dos cônjuges e de terceiros.
Para o ministro, os efeitos do ato jurídico perfeito celebrado sob o CC/16, “conforme expressamente ressalvado pelos artigos 2.035 e 2.039 do CC/02”, devem ser respeitados. “Além disso, devem ser preservados os interesses de terceiros que, mantendo relações negociais com os cônjuges, poderiam ser surpreendidos com uma alteração no regime de bens do casamento”, assinalou. Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

FONTE: http://www.conjur.com.br/2014-set-09/mudanca-regime-bens-casamento-nao-efeito-retroativo