quarta-feira, 26 de junho de 2013

Manifestação popular, porque...


Os governantes, quando ainda em campanha política, fazem suas mais variadas manifestações. Correm atrás do voto, de todas as formas, possíveis e impossíveis. 

Ligam para os conhecidos, organizam reuniões em casa, ruas, associações, oferecem coquetéis, 
patrocinam festas, pegam poeira, comem com o povo da zona rural, abraçam, chamam o dono da casa lá para o quarto, com se fossem eles os donos da casa...oferecem algum dinheiro, e marca uma outra quantia para depois da eleição...

Senhores(a), o que acabei de citar acima, são manifestações, pacíficas, porque estavam correndo atrás de "representar, sobretudo o povo pobre"... receber no lugar do povo, tudo o que o povo receberia: dinheiro para a Saúde Pública, Educação Pública, Cultura Pública, e daí por diante.

É claro, que precisa de um representante. Todos não podem fazer acontecer, então temos no Brasil, um momento para exercer nossa cidadania, de escolher dentre o povo que formamos, um representante. Só que, um dia depois da escolha, alguma coisa já começa a mudar, e nunca mais os discursos do palanque, digo, o prometido no palanque, voltará ser ouvido pelo povo, por parte  do representante, com algumas exceções, o atual  gestor municipal de Bacabal ainda discursa. Quem não sabe, pode pensar que ainda é campanha, mas isso é raro. Então, partindo do princípio da necessidade de se manifestar, o povo também deve fazer as suas, quando o representante não cumpre nada do que disse que cumpriria.

É preciso pedir ao representante, que administre com justiça, sem pegar o que é do povo, e colocar na sua  casa, fazenda ou algo de sua propriedade.

É preciso pedir ao gestor, um minuto do seu tempo. para um pedido, ou uma conversa...de amigo pra amigo, afinal o povo deu a ele, o que, só um amigo daria, um gargo público, com direito de fazer quase tudo, até contra seu povo...os amigos da campanha. 

Que o Senhor Deus nos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário