domingo, 14 de julho de 2013

"A Lei da sobrevivência"?



Numa tarde de verão, o sol já começando a sumir...ainda com um clarão forte, alguns pássaros voando de um lado para o outro...um cantar triste de uma rolinha se faz ouvir.

O dia, que foi todo iluminado, desde a manhã até aquele momento, já na hora do sol se esconder, ainda continuava bonito. Perto dali, num galho seco, continuação de uma árvore frondosa, com pontas ressequidas, uma ave, de aparência robusta, cara de poucos ou nenhum amigo...sim, era o gavião, talvez descansando de um dia de caça, ou quem sabe, de espera. Espera, talvez de um piado ou canto de uma ave indefesa...como a do canto que se ouvia naquele momento. Você lembra? sim, o canto triste de uma rolinha. Ou, não sei se é triste mesmo, ou porque sua suavidade sugere um pouco de melancolia. Pássaro bonito, cuja aparência sugere paz...talvez pela beleza que a natureza lhe proporcionou, e com isso muitos de nós, certamente paramos de vez em quando diante de sua beleza, e, se precisar, talvez disposto a lhe prestar socorro, quando nos for permitido fazê-lo.

O bichinho, também até bonito, e porque não? só porque tem um bico e garras de caçador? Podíamos perdoá-lo, se entendêssemos sua necessidade e o curso da natureza, ou a chamada "lei da sobrevivência", que permite que o mais fraco seja engolido pelo mais forte. Um momento depois o esquecimento, não nos deixa pensar mais nisso. Mas, o socorro existe, e entra em ação quando a misericórdia fala mais alto do que a "Lei da sobrevivência". Foi o que aconteceu naquele final de tarde, quando o pássaro robusto, que eu disse que tinha cara de poucos ou nenhum amigo, com seu poder de caçador, com garras e bico triturador, foi contra a rolinha, pequena suave, bonita, frágil, mas também, protegida pelo Criador. A investida seria fatal, se perto dali não tivessem 3 pessoas observando tudo. Na investida do gavião, um dos três meninos...impressionante? pode ser...meninos, sim. Com um côco babaçu, arremesso mais certo do que a investida do predador, que caiu no chão. Alguns aplausos...de adultos que também observavam os meninos, a rolinha e o gavião.

Naquele momento me veio algo na mente: Deus, usa quem Ele quer para o dia do salvamento. Até alguém, como aquele menino, que também, de vez em quando usa uma baladeira, ou estilingue, como quiser chamar, para matar passarinhos. Naquele momento livrou o mais fraco.

Uma lição?
talvez, se você quiser. “O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te; Ele Se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no Seu amor, regozijar-Se-á em ti com júbilo” (Sf 3:17).

Cabe, contudo, a cada um de nós, a interpretação do que nos ronda, do que fazemos e do acreditamos ter como missão.

Este Blog, senhores(a), existe com o fim, além de noticiar, também de levar mensagens. A interpretação das mesmas, nem sempre eu tenho, mas os senhores(a) a farão. Cada um de nós pode ser um escritor em potencial, pois somos, todos, críticos. Alias, isso é que vem construindo o mundo, com tudo o que tem nele, o bem e o mal. Seus frutos... são  o produto da semente que plantamos. Se não fizermos nada, se nossos defeitos de humanos superarem o poder de construir a paz, tão pregada a 2 mil anos, pelo Homem que teve 33 anos de vida como humano, e que hoje, agora mesmo, ao me fornecer este texto par publicar, e que, ao longo da História, fez sobressair o Poder, de um Rei, anunciado a Davi, cujo reinado não teria fim. Se não fizermos nossa parte, nossas reclamações não terão sentido.



Nenhum comentário:

Postar um comentário