terça-feira, 30 de julho de 2013

Nosso problema: Não reconhecemos...


Veja caro leitor(a), se você for Cristão, veja o que conta a Bíblia: Certa vez num barco, no meio do Mar, se encontravam os discípulos de Jesus Cristo. O Mestre não estava com eles. De repente, surge, na frente do barco, um homem andando sobre as águas. Os Discípulos com medo, gritaram: é um fantasma. Mas Jesus os conformou dizendo: não tenham medo, sou eu. Simão Pedro,  cheio
de ânimo, disse, Senhor, se és tu, que vens aí, me permite que eu vá ao teu encontro. Vêm, respondeu Jesus a Pedro. Pedro saiu do barco, começou a andar sobre as águas, mas,  ao perceber o incomum, não acreditou, e começou a afundar. Pediu, recebeu e não acreditou que esta recebendo.

Se você não for Cristão , e  preferir um outro paralelo,  veja: Napoleon Hill, um dos maiores escritores que o mundo conheceu,  contou sobre um homem a quem ele ajudou. Desesperado, chega em seu apartamento um rapaz a procura de ajuda. Senhor, falou o homem, tudo o que quero, é um lugar para dormir e comida para comer. Ao ouvir o que pedia aquele rapaz, Napoleon murmurou consigo: um lugar para dormir e comida para comer, num país tão próspero, como os Estados Unidos!  Porque não se torna um milionário, rapa? pergunta Napoleon. Não brinque comigo, respondeu o rapaz. Não tenho uma moeda no bolso, como posso ser um milionário? Se trouxer sua mente para o lado positivo, poderá. Na narrativa, Napoleon diz: "houve uma época em que eu estivera tão acabrunhado quanto aquele rapaz", por isso resolvi ajudá-lo. E depois de uma longa conversa, sobre a vida daquele homem, descobriu que ele havia servido o Exército. E no Quartel, havia sido cozinheiro, e, antes de ir para o Quartel, tinha sido vendedor de "algum tipo de bugiganga".

"Você é um risco que vale apena correr", falou Napoleon ao rapaz. E o hospedou em seu apartamento, usou seu crédito para comprar para ele algumas roupas e calçados, e ainda avalizou uma compra de utensílios de cozinha, uma nova linha que acabava  de ser lançada no mercado americano. Isto depois de uma longa conversa. 

A sugestão foi a seguinte: Você, que foi cozinheiro no quartel, e que antes, foi vendedor, promove um jantar e convida as senhoras da cidade. O jantar será preparado e servido nos novos utensílios , e será gratuito.  no final você anota os pedidos dos utensílios. Onde vou encontrar dinheiro para comprar tudo isso? Um tipo de pergunta própria de quem ainda não se encontrou, dizia Napoleon.

Com o aval de Napoleon, tudo foi comprado, o jantar foi oferecido. E no final de tudo houve um lucro líquido de 3 dólar. O rapaz repetiu o jantar por várias vezes, começou a treinar uma equipe de vendedor, e "no final de 4 anos, o homem que estivera tão faminto e tão longe de se tornar um milionário, valia mais de 10 Milhões de dólar".

Senhores(a), muitos textos, parecidos com o que acabo de narrar, são contados em grandes livros. Já publiquei aqui, vários, baseados em grandes leituras. Você deve perguntar: o textos servem para o blogueiro? E eu respondo: Aos 22 anos de idade, há 27 anos atrás, eu registrava uma Micro Empresa, e antes, depois que deixei o Seminário, fui vendedor em uma grande loja, em São Luís. Éramos 68 vendedores, e sempre me destaquei entre os 3 primeiros. É uma longa história, que de vez em quando vou contar um pouco. Me distanciei dos grandes exemplos, fracassei e tenho muita sorte de poder escrever e publicar um pouco da filosofia de vida que tenho visto.

Nosso questionamento principal aqui, é no que diz respeito ao fato de pedirmos, recebermos e na maioria das vezes não acreditar que estamos recebendo. Depois que passa, a gente, às vezes percebe que pediu a Deus, recebeu e não conseguiu segurar, porque não acreditou.






1
PENSE E ENRIQUEÇA


Napoleon Hill

Nenhum comentário:

Postar um comentário