sábado, 10 de agosto de 2013

Dia dos Pais!


Sim, dia dos Pais. O "P" maiúsculo, é por significar algo grandioso. Hoje aos 49 anos de idade, me é permitido lembrar e contemplar esse dia! Lembro-me de um passado, que ainda procuro viver como se fosse o presente, a lembrança do meu Pai. E vivo como se estivesse recebendo um  presente. Meu Pai, que aos 83 anos de idade, há exatos seis anos teve que partir!  E no mesmo lugar, na mesma mesa,  que em torno da qual, uso o meu computador, neste exato momento para escrever o texto em homenagem ao dia, que ainda é seu, também me assentei e chorei bem alto, minutos depois que recebi a notícia de sua morte. Naquele momento meu filho mais velho, Daniel, que hoje tem 27 anos de idade, entrava em casa, e me viu chorar, bem alto, como certamente nunca tinha visto. Eu queria chorar, afinal, acabava de partir o homem que certamente mais me amou. E porque sei disso? porque, embora não soubesse demonstrar com palavras, não deixava dúvidas, porque muitas vezes o vi trabalhar duro para garantir à família que tinha, o sustento. Sim, trabalhar duro, essa foi sua tarefa, sem contudo nunca ter perdido o bom humor. Sabia somente escrever o nome, no entanto impressionava quando precisava aconselhar alguém. Alias, essa é talvez a maior qualidade dos pais, aconselhar, mesmo quando por  algum motivo não seja ele o maior exemplo para o mundo. E julgá-los, não nos é permitido, porque, jovens, não conhecemos os espinhos, nem em que parte do caminho iremos encontrá-los. Idosos, ainda não sabemos avaliar seus  passos ou os sentimentos do coração, que, mesmo em tropeço, ainda têm  o privilégio, e a Bênção, de Deus,  o Pai dos pais, de ser chamado Pai.

Dia dos Pais! Dia que alguém resolveu separar no calendário para  dedicar ao homem, que tem nos ombros, a árdua tarefa de encontrar forças, para buscar aos filhos, o sustento, a proteção e ainda entregar nas mãos o mapa, que quase sempre representa os caminhos por onde andou, ou o desvio, para evitar alguns tropeços, ou abismos.

Aos jovens pais, de modo particular ao meu filho, que também já o é, parabéns, aos já não tão jovens, aos que trilharam por mais tempo, por vários caminhos, e que ainda contemplam um horizonte a ser percorrido, parabéns, parabéns e parabéns! Ainda somos responsáveis pela tarefa de ensinar. Somos instrutores, também dos netos, filhos dos filhos...que despontam, e que correm, sem muito motivos, ou experiências para freá-los. Somos as raízes que não morrerão, mesmo quando nossas presenças já não forem  notadas, porque isso nos garantiu Jesus Cristo, o Filho, que o Pai de todos os Pais, o grandioso e bondoso Deus, nos mandou.  

Estamos de Parabéns! Por entender, ou buscar entender a tarefa  que nos confiou o bom e perfeito Pai.

Escrito por Jeremias-Fotógrafo e blogueiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário