domingo, 4 de agosto de 2013

Qual seria o melhor investimento financeiro?


Quando eu tinha 19 anos de idade, morando em São Luís, tinha acabado de sair do 2º Grau, no Colégio Gonçalves Dias, diga-se de passagem, o Colégio que ficará nas minhas lembranças por toda minha vida. Eu precisando trabalhar para ganhar algum dinheiro, fui atraído por um anúncio de Televisão, da Imobiliária Santa Mônica, que oferecia emprego, com grandes chances de bons salários. Fui lá, recebi um treinamento de vendas, que me valeu a pena.  Fui trabalhar como corretor de Imóveis. Naquela época se falava, que o melhor investimento, era comprar imóveis. Acredito que ainda seja, até hoje.

Mas, o que estou contando, é só para ilustrar o que tenho encontrado como sendo investimento.

Eu havia produzido um serviço fotográfico para um determinado cliente, que de vez em quando me comprava algumas fotos, e dessa vez estávamos para negociar novamente. Ele, o comprador, me sugeria: olha, faz um preço bom, você está ganhando um bom lucro...etc.

Me ocorreu naquele momento, algo que resolvi escrever: Uma sugestão, para mim, ou para você, caro leitor(a). O bom negócio, pode nem sempre,  ser o de bons lucros num determinado momento, até porque, lucro nem sempre se  pode medir em  dinheiro. 

Me recorda uma narrativa de um homem, que vivia numa necessidade tão grande, mas apesar disso estava sempre contente. Quando alguém lhe perguntava como ele estava, respondia: "Bem, graças a Deus". As pessoas sabiam que nem sempre ele estava tão bem, assim. Até que um dia ele iniciou uma construção. Muitos passavam por lá e viam que algo estava sendo feito. Sua casa, de aparência muito humilde, indicava que aquele homem era muito pobre...mas, ali começava uma construção, e ele continuava igual como sempre, sorridente. Deixe só dizer uma coisa: o homem da narrativa vivia de prestar alguns serviços, como por exemplo levar alguma coisa de um lugar para o outro, marcar a vez numa fila para alguém, e assim, recebia algum dinheiro, mas parecia muito pobre. Quando alguma pessoa procurava investigar algo sobre ele, não dava muita atenção à conversa. Mas, a construção estava ali acontecendo.

Um dia, um cidadão muito inteligente da cidade, resolveu descobrir de quem era a construção, porque estava intrigado. Um homem muito pobre, construindo um casa, que se fosse realente dele, tinha um segredo em torno. Uma construção como aquela, pensava, não podia ser de um homem tão pobre, a menos que existisse algum segredo. E tinha mesmo, aquele homem tinha um tesouro. Ao longo do tempo ele guardou metade do que ganhou dos serviços que fazia. Dizia: quando jovem eu nunca precisei de uma casa, porque eu não ia ter tempo nem de morar nela. Agora minhas economias servirão.

Aquele cidadão nunca prestou um serviço a alguém, com a cara feia, mesmo que alguém o deixasse de lhe pagar. Assim não poderia perder um cliente, o motivo maior de todos os negócios. Nunca teve muitas coisas para pagar, por isso tudo ia muito bem mesmo. Seu lucro não consistia em cobrar caro, ou explorar, só economizava.

Uma lição, talvez? 
Sim, talvez: centavos, que não param de aumentar podem ser um tesoura no amanhã, enquanto, milhões desperdiçados, jogados nos .muitos luxos, acabam sem nada construir.

Assim, o melhor investimento, que em todos os momentos podemos fazer, é trabalhar contente, vendendo,  Navios ou cheiro verde, ou reciclando lixo, ou lavrando a terra,  economizando, ou construindo dignidade. Porque amanhã talvez, precisamos construir algo. Mesmo que não seja uma casa, mas talvez um caminho para que andem em segurança, nossos filhos ou netos.

Escrito por Jeremias...

Nenhum comentário:

Postar um comentário