quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Repetições

A princípio pode parecer desnecessário falar  de um assunto que não teria muito a dizer. Caso não se queira analisar a respeito. Contudo, se não fossem as repetições, estaríamos sem chances para um aprendizado.

Quando ainda recém-nascido, minha mãe, certamente me fez encontrar sua mama, para que eu me alimentasse. Isso, por muito tempo, sou certo. Isso é repetição. Quando dei os primeiros passos, o fiz por várias vezes, para aprender. Isso é repetição. Quando fui à Escola, pela primeira vez, e eu me lembro bem, a professora, que se chamava Nazaré, por várias vezes me fez desenhar a letra A. Quando fui a uma academia de Karate, o Professor Robson, me fez  por várias vezes, fazer algum tipo de movimento, e aqui, lembro-me do quesito Soco, quesito que alias, usarei para ilustrar um pouco este texto.

O Professor Robson Correia, cujo o nome faço  questão mencionar neste texto, quando me ensinava socar, na Academia Real Karate, cuja Academia, faço também questão de mencionar, pois foi lá, que continuei, e com muitas lembranças proveitosas, a dá os passos necessários, e com muitas repetições, para uma vida, que, de acordo com aquele Professor, aplicadíssimo e com um grande conhecimento filosófico na matéria Karate, seriam necessários para a vida.

Falei em socar. Dá soco, um movimento feito com as mãos fechadas, que funciona como uma arma.

Numa certa aula, de soco, o Professor Robson, nos falava sobre o porque de se socar. E dizia ele: em Karate, socar, é socar mesmo. Hoje vocês começam a aprender. Daqui a um ano, começam a melhorar, daqui a cinco...ou dez anos, quem sabe, podem está quase aprendendo. Daqui, a vinte, trinta ou quarenta anos, talvez descubram que não precisam usar o soco, pois a luta pode ser vencida sem a necessidade de um.

Caros leitores deste blog, os senhores(a), e mais outros, que por ventura vierem nos acessar, são os motivos dos textos, que mesmo como aprendiz, e através de muitas repetições, procuro escrever, pois através da escrita, o mundo, do qual fazemos parte, tem se comunicado, e isso ao longo de toda uma história humana. E não fazemos favor a alguém, quando  procuramos, de uma forma, ou de outra, nos comunicar, é nossa obrigação. Logramos do bem que fizeram nossos antepassados, que nos deixaram por escrito sobre uma época que não vivemos. E assim, também  deixaremos aos que vierem depois de nós.

Usei o título acima, Repetição, porque, uma pessoa, que tenho como amiga, e digna de admiração da minha parte, e com uma história de provações, digna de ser contada, me falou, talvez por uma razão justa, que não vive de repetições. E como nós, pobres seres...humanos, que acreditamos que somos racionais, até porque nos ensinaram isso; não somos os donos da verdade, não temos também o direito de discordar de uma filosofia, que tenha na sua essência, o poder de desenvolver, fazer crescer  e encaminhar para um mundo de reflexão, algo, como, se não concordar, pelo menos não discordar, capaz de produzir paz e harmonia. Mas, quanto a mim, vejo repetições, como algo capaz preparar para um aprendizado.

Escrito por Jeremias, Fotógrafo e blogueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário