segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Às vezes perdido...

Estamos no universo! Deparamo-nos com coisas... que às vezes classificamos como desagradáveis, que tentam apagar os passos que demos. As derrotas marcam. E marcam tanto, que nos ensinam que os méritos das nossas vitórias não devem ser atribuídos a nós. Até porque não são mesmo. Assim, como também as  derrotas. 

Fazemos tudo direitinho, somos aplaudidos, curvamo-nos em forma de agradecimento. E amanhã, um chute. Exatamente, levamos um chute, e nos envergonhamos, porque alguém viu que levamos um chute. Procuramos nos explicar, porque ainda somos pequenos e não temos convicção do nosso papel... picado, cujos pedaços são espalhados, e retirados das cabeças, ou do rosto, dos olhos, dos que por ele, digo, das partículas são  atingidos.


Amanhã é outro dia! O Sol novamente surgirá com brilho forte, mesmo que não vejamos seu brilho. Mesmo assim, brilha. Mesmo que as nuvens carregadas de chuva impeçam que ele seja visto. Mas existe, tanto que quando as nuvens forem varridas, lá está ele. E não precisa explicar nada. Ele existe de verdade, e por isso não depende de mim ou de você, para dizer que ele existe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário