quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Imprensa, o que lhe é atribuída como missão

Quem entende do assunto, Imprensa, ou a quem cabe o direito de julgá-la?

 

Uma pergunta aparentemente, pelo menos de início, inusitada. Sim, o questionamento, é fruto de uma reflexão  a partir de uma conversa com um amigo, do ramo. Queremos,  todos nós seres humanos, um reconhecimento, o que é natural, porque somos cheios de falhas, porque somos humanos. No entanto, a luta em busca da perfeição, parece não concordar com as falhas, e nem com o argumento de que as praticamos porque somos humanos. Porque, somos, também racionais, dotados de inteligência, que nos permite distinguir o bem do mal.


A famosa frase: “Não vim para concertar o mundo” , pode parecer compreensível, contudo, a missão nossa, se atentarmos para o princípio da vida, ou se preferirmos, para a ordem natural da mesma, é melhorar a cada passo, é nisso não se encontra pretexto para nossas negligências, sobretudo quando elas afetam aos outros. E sempre afetam. Portanto é pecado ser negligente, e mais pecado ainda, quando defendemos a negligência, porque a  enaltecemos.

O título do texto em curso é Imprensa, mas, antes de abordar o que  seria falha  da Imprensa, resolvi falar das falhas de todos nós, nas mais variadas atividades, o que não pode ser confundido com uma desesperada  defesa, só porque trato dos meus próprios erros. 

“Produzir provas contra mim”,  não é viável, é o que diz a Lei, que foi criada por homens cultos, escolhidos  para representar um povo. Contudo, “tapar o Sol com uma peneira”, não é o melhor caminho para impedir seu brilho, e nisso, a lógica humana entende certamente, que é verdade, mesmo que essa verdade provoque, ou pareça provocar um choque no que diz a Lei, que me defende, se baseando nas minhas  fraquezas.

Quem poderá julgar a Imprensa?

Toda a sociedade, sobretudo aquela cumpridora dos seus deveres, ou defensora, de uma Filosofia que, mesmo sujeita ao erro, tenha como horizonte o crescimento do Homem. Esta é minha resposta, e espero, não esteja menosprezando aquelas que indiquem outro  caminho.


O erro da Imprensa é visível, quando as notícias divulgadas, visam elogiar ou contestar quem quer que seja, por um ou outro motivo; até mesmo, o que trata da chamada “Lei da sobrevivência”. Lei da minha sobrevivência, que diz que eu tenho direito de subir nos ombros dos menores ou mais fracos, para me dá bem? Lei que gera conflitos, por um desrespeito meu, e que vira espelho para uma sociedade carente de ajuda verdadeira, e que busca negar, os ensinamentos... do “Bom Samaritano, ou do Amai-vos aos outros, que se ouvia nas conversas de Jesus Cristo? A verdade que constrói, mesmo que seja contra a Lei da minha sobrevivência, é o Caminho que acredito, e que a história tem provado, que chega. Esta seja a notícia... tarefa de nossa Imprensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário