quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O Primeiro Faixa Preta de karate no Maranhão


FILOSOFIA SEITO-DO A PROMESSA MORAL E ÉTICA O SABER SEITO-DO VERDADES RELIGIÃO MÁXIMA A MISSÃO A FILOSOFIA SEITO-DO 

Robson Coral (Mestre) A expressão japonesa SEITO-DO (***) pode ser entendida como a "busca interior da verdade" e como base filosófica deriva do ZEN, profundamente influenciada pelo KONGO-ZEN, filosofia zen-budista criada por SO DOSHIN, fundador do SHORINJI KEMPO, japonês. Quando Deus criou o homem deu-lhe um impulso que o lançou através de sua existência material. Esse impulso é o que chamamos de vida. Mas, assim, como uma pedra é lançada para cima e para longe e depois de atingir um ponto de máxima elevação tende a cair e alcançar o ponto mais distante, a vida do homem tende a acabar, e ela será tanta mais longa quanto maior for o impulso inicial. Entretanto, o homem não é uma pedra, e Deus deu-lhe o dom da criatividade através da qual ele poderia ampliar sua vida, se não em tempo de existência, pelo menos em produtividade. Ou seja: Deus deu ao homem as asas da imaginação, de modo que pudesse ser humano, diferente da pedra bruta. Assim, o homem é aquele pássaro que ao se lançar do ninho pela primeira vez não sabe voar, mas que ao se sentir no ar, no espaço aberto, a sua habilidade nata se manifesta e logo depois faz graciosos volteios na infinita amplidão dos céus. Deus pôs à disposição do homem muitas asas, dentre as quais o KARATE-DO. O Karate-Do não é apenas asas para o homem, mas também é a instrução de vôo (TE), a rota a seguir (DO) e o campo de pouso (KARA). No Karate usamos o corpo, a mente e o espírito. Os pés são descalços, porque o pé que não toca o solo onde pisa não sabe para onde leva o corpo; as pernas são firmes, para não deixarem o corpo no meio do caminho; o corpo é ágil para se livrar dos obstáculos da adversidade; os braços são fortes para ampararem o ancião e bloquearem os golpes do prepotente contra os fracos e do opressor contras os oprimidos; as mãos são limpas, vazias para que não se macule a bondade da criança quando lhe indicarmos o caminho; a mente é aberta para que possamos aprender sempre e ver o horizonte cada vez mais longe; e por fim, o espírito é livre para que não queira se prender às amarguras e às tentações da vida do mundo e que, amadurecido possa escolher o caminho a seguir. Aquele que ensina, na verdade não determina, mas tão-somente mostra o caminho. 01_ JUMBI-SHIZEI: A PROMESSA Robson Coral* (CRIADA EM 30/05/1983) 1- Terei sempre em mente que o estudo do KARATE é um caminho para se ter uma clara consciência de tudo; 2- Estarei sempre disposto a defender a justiça, os fracos e os oprimidos, e proteger ao meu próximo sem olhar o seu rosto; 3- Nunca me mostrarei cruel ou orgulhoso, porque a crueldade e o orgulho são próprios dos violentos e covardes; 4- Serei sempre forte, nunca violento; 5- Usarei meus conhecimentos de KARATE, em todos os momentos de minha vida, sempre para evitar os obstáculos, resolver os problemas e combater pela Paz em harmonia com os homens, no caminho e em nome da Verdade Cósmica. * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 02 _ "A Moral e a Ética no Karate" Robson Coral* _ Moral, do latim "mores", que significa costumes, conduta, como modo de agir, trata dos deveres morais do homem, isto é, dos costumes e das suas diferentes formas de agir dentro do seu grupo social. É importante que não se confunda a Moral com a Ética – que vem do grego "êthos" – e também significa costumes. A Ética é um produto da reflexão individual sobre os costumes, portanto, uma parte da Moral, mas com sentido especulativo. A Moral tem por objeto os atos humanos, como resultado da apreciação das normas de ação de um grupo. As duas são, pois, complementares e não excludentes. Não existe Moral sem Ética, nem Ética sem Moral. Ninguém pode seguir padrões de comportamento sem refletir sobre eles; e toda reflexão é individual, introspectiva, nunca coletiva. O que deve, e precisa, ser coletivo é a aceitação dessa reflexão individual, quando a mesma é fruto de uma mente capaz e voltada para o bem-estar do grupo. O Karate, em todas as suas variações, é o resultado do trabalho consciente e dedicado de grandes homens, que abdicando de muitos de seus costumes, criaram formas de condutas individuais salutares que, com o passar do tempo, tornaram-se padrão de comportamento de um grupo seleto de indivíduos, verdadeiros e ilibados baluartes da Moral Social. No Masukan Shorinji-Ryu, a dedicação e a lealdade aos princípios do nosso karate, estão profundamente fincadas nos corações dos nossos seguidores. Mas, o que é dedicação e o que é lealdade? _ A dedicação é a constância e o afinco na prática laboriosa. A lealdade é o reconhecimento das origens, honrando os mestres ancestrais, fundadores e continuadores da arte. Não seguir tais princípios é, sem dúvida, renegar seus costumes, sua Moral, sua Ética. Um verdadeiro "karateka" nunca quebra um princípio moral, quando muito, modifica um comportamento ético. * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 03 _ O SABER SEITO-DO Robson Coral* O Shorinji-Karate possui quatro níveis: conhecimento, entendimento, compreensão e sabedoria ou sapiência. Para conhecer usamos os sentidos; para entender usamos nossa intuição; para compreender usamos nosso raciocínio, e para saber usamos deixar de lado tudo que aprendemos metodicamente e seguimos nosso espírito. É o momento em que esvaziamos para encher, deixamos de olhar para ver, esquecemos para lembrar, libertamos para apreender e sonhamos para realizar. "Nada é completo sem o que falta"; "Não há existência sem não-existência"; "Não há dinâmica sem estática"; "Não há círculo sem centro"; "Não há fim sem começo"; "Se um rio muda sua nascente já não é o mesmo rio"; "Nenhum som é tão alto que o silêncio não o extinga"; "Evoluir é apenas um meio lento de retornar às origens"; "Fraco é o homem que perdeu sua UTOPIA"; * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 04 _ "AS QUATRO NOBRES VERDADES" (do BUDISMO) "A primeira verdade é que a vida é penosa; a segunda é que a dor é causada pela constante procura dos prazeres da vida e dos bens materiais; a terceira, que a dor cessará quando a pessoa se emancipar do desejo; a quarta prescreve um caminho que conduz à cessação da dor - é o nobre caminho dividido em oito partes: retidão de propósitos, de intenções, de palavras, de ações, de vida, de esforço, de pensamentos e de concentração". Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 05 _ O QUE É RELIGIÃO ? Robson Coral* Se me fosse dado o privilégio de definir palavras, com certeza definiria religião como: esperança. _ Se me fosse dado conceituar, eu diria: saudade. A religião é antes de tudo a esperança de que DEUS exista; de que os deuses existam. De que haja algo mais do que esta vida que supomos vida, do que esta luta que pensamos glorificante ou do que esta sensação de que estamos sozinho no universo e que somos perecíveis e não filhos de DEUS, portanto, eternos em espírito. É a esperança de que a morte seja irmã e amiga e, que morrer seja um prêmio e não ,um castigo pelo crime de ter nascido; um espécie de renascimento ou de retorno a um lugar de onde preferíamos nunca ter saído. _ Esperança! Esta palavra mágica tem nutrido, através do tempo, a toda espécie de homens: crianças, jovens, adultos e velhos; pobres e ricos, covardes e guerreiros, súditos e reis, conquistados e conquistadores, leigos e sábio, profanos e clérigos. E foi em nome dessa esperança que foram criados os símbolos... das perspectivas de encontrar o nosso horizonte perdido, a nossa primeira morada, que deixamos esquecida numa curva do espaço cósmico que os homens chamam de tempo. Na busca constante desse horizonte perdido surgiram os guias, que alguém supôs fossem necessários. Foram os heróis, os reis, os profetas, que com o passar das eras e desvanecer da memória foram sendo mistificados e por fim... deificados. E aquilo que mais de perto marcou suas vidas foi transformado em símbolo sagrado, esperança de uma nova e constante comunicação com eles: a espada de um herói, a coroa de um rei, o cajado de um profeta ou a cruz de um messias. E o aço virou justiça e o madeiro virou fé. E a fé transformou os homens em filhos de Deus. _ Mas, DEUS é uma invenção do pensamento humano. A necessidade de acreditar numa esperança para a humanidade sempre sequiosa de respostas para um infinito de indagações. DEUS é antes de qualquer explicação ditada pela fé, a necessidade de crer numa Verdade Cósmica, que seja a Regência Suprema do Cosmo. Entretanto, no fim de tudo, a religião é uma Saudade. Sim. Saudade daquilo que o homem nunca viu na sua vida terrena, mas que tem certeza já possuiu um dia, que não sabe quando, em algum lugar, que não sabe onde. Veja que saudade é definida como a "recordação suave e melancólica de pessoas ausente ou coisa distante, que se deseja voltar a ver ou possuir". E qual será o homem que ao voltar os olhos para o infinito cósmico, numa noite estrelada, não sente no peito uma profunda nostalgia? Não será isso uma recordação, uma certeza de que em algum recanto do Universo há alguém a quem deixamos um dia? _ São estas inquisitivas cismas, esta nostalgia... esta saudade enorme, este vazio que nos massacra a alma e ao mesmo tempo nos impulsiona na busca constante da verdade Cósmica, que podemos chamar de RELIGIÃO. Não um conjunto de dogmas, de normas de comportamento; não uma igreja de homens; não um templo de pedras. Mas sim, um conjunto de perguntas, uma igreja de pensamentos, um templo de fé, são os constituintes de uma religião. Porque religião, na forma primitiva "religio" (latim) parece vir de "re-ligare", que denota a ação de ligar, prender a, onde o verbo "ligare" vem reforçado pelo prefixo iterativo "re". Ainda porque, uma religião deveria libertar o homem na sua essência, espírito, para que mostrando-se puro, desprovido de amarras, de roupagens vistosas pudesse comungar com o Ser Supremo, a Verdade Cósmica. Só assim, visto nu e vazio, o homem poderá ir ao encontro do Criador, DEUS. Seria, pois, esta a missão da religião: tornar o homem vazio do pensamento (sentimento) humano e nu dos artifícios sociais (mundanos) para que pudesse religar-se a DEUS. Eis aí o que é Religião: uma esperança e uma saudade de um Deus que o homem criou na ilusão de que um dia possa reunir-se a Ele par nEle gozar a ETERNIDADE. * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 06 _ MÁXIMA Robson Coral* Bem sei que poucos dirão que tiveram a minha ajuda, quando no espaço só existir a marca de minha presença e no tempo apenas a lembrança do que fui; mas espero que todo aquele que reconheça a Verdade, lembre sempre no mais íntimo de sua alma, que um dia estive em sua estrada e que ao invés de atravessá-la, por algum tempo nela caminhei ao seu lado. * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA) 07 _ A NOBRE MISSÃO DO HOMEM Robson Coral* Deus, o Senhor Supremo do Universo, deu ao homem uma missão, a qual ninguém, nenhum homem, tem o direito de furtar-se. Essa missão compõem-se de três etapas, a saber: 1) Aprender _ a mais simples; 2) Desenvolver _ a mais penosa; 3) Ensinar _ a mais difícil. Nenhum homem deve ensinar sem ter aprendido o suficiente e desenvolvido o máximo; desenvolver sem ter aprendido é como nadar sem ter água. E porque aprender é a primeira etapa e nenhuma outra deve vir antes dela. O homem é fruto do pensamento divino e foi individualizado, isto é, ganhou autonomia ou livre-arbítrio, para poder aprender aquilo que Deus não podia, devido a sua própria magnitude. Nenhum homem tem o direito de arvorar-se onisciente da Verdade, pois aquele que A conhece não necessita dizê-la. Nenhum homem pode dizer-se mediador entre Deus e os homens, pois Deus não precisa de mediação com o seu próprio pensamento. O homem comum não fala de Deus, mas sim de si próprio. O profeta não fala por Deus, mas de Deus. O sábio nada fala, mas mostra a Verdade. * Prof. ROBSON CORREIA DE ALMEIDA, 5º DAN, Mestre do Karate Shorinji e Diretor-presidente da OBKS, Instrutor-chefe da Escola-Matriz. Criador da Zen Seito-Do (Doutrina do Caminho da Verdade), Mentor e Fundador da OBKS, Unificador dos Estilos Okinawa-Kempo e Seito, Idealizador e Criador do Shorinji-Ryu Masukan Karate-Do. Discípulo do "Mestre Zeca" (Grão-mestre José de Ribamar Alves). Início em São Luís (MA) em 05/05/1978. Extraído do Guia Completo da OBKS para orientação de sócios _ 1994 (Edição própria) webmaster: rcoral@oi.com.br – ©1999-2007 by SOLTEC-STL (INÍCIO DA PÁGINA)


Este texto é da pagina da OBKS-Organização Brasileira de Karate Shorinji-Ryu

Nenhum comentário:

Postar um comentário