sábado, 23 de novembro de 2013

“Te acompanhes com um bom e serás igual a ele. Te acompanhes a um ruim e serás pior que ele”


Encontrei uma resposta que explica isso tão bem,  que resolvi me aprofundar no assunto.
A exemplo disso, verifique: Alguém resolve acompanhar a um matador de aluguel, popularmente conhecido como pistoleiro. O homem que acompanhou o pistoleiro, vendo que aquele era muito valente determinado, e além disso com uma pontaria que ele nunca tinha visto, entendeu porque aquele homem era o que era... e não sabia como ia ser, conviver com alguém, com quem  não tinha nada de comum.

Um certo dia, já depois de mais ou menos dois meses que andavam juntos, e já havia presenciado como aquele homem  entrava em ação; meio com medo, mas decidido a continuar o que aceitara, ou melhor, que buscara, foi surpreendido pelo pistoleiro, era uma boa pessoa, apesar de ser pistoleiro.
Companheiro, disse ele:  já fazem dois meses que andamos juntos e não te conheço. Tu sabes atirar? Parece que está decidido mesmo a seguir  comigo, e agora resolvi te perguntar isto.
Olha, respondeu Nicolau, talvez não tão bem quanto o senhor...e ainda ia falar alguma coisa, mas foi interrompido: "o Senhor está no céu", te dirige a mim, a partir de hoje, me chamando você, ou tu. Continue, falou ele.
Chamaremos agora, o pistoleiro, pelo nome de Crachá, era assim que ele era chamado. Não sei atirar como você, mas atiro. Respondeu Nicolau.
Não sei porque você resolveu me acompanhar, se nem arma tu tens, e se tivesse eu não teria aceito sua companhia, mas, agora te digo: é preciso que sejamos parceiros, confio em ti, aproveita pra treinar tiro, vou te dar uma arma, e espero que sejas sem medo. Podemos fazer tarefas juntos, ou cada um para um lado, se aparecer negócio. Aquela parecia uma ideia boa, até porque Nicolau já não tinha medo como antes. Já presenciara alguns "tombos", como se chama, ou como Crachá chamava, sobre suas vítimas.

Agora Nicolau não se sentia tão comum, e estava decidido a ser bom, afinal o que estava em jogo, era a confiança que havia passado a Crachá. Por outro lado, já que acabava de ser agraciado com a confiança e com uma arma, tinha que prosperar, pensava ele...Ainda, enquanto pensava, foi interrompido por uma ordem.  Foi assim que entendeu Nicolau. O tom era o mesmo de antes, mas havia um compromisso, e a  preocupação em corresponder às expectativas do "companheiro", que agora parecia mais um patrão, o que fazia com que Nicolau entendesse como ordem, lhe preocupava.
Olha aqui, tenho um nome melhor pra um comedor de cabrito, meu companheiro! Antes vou te dizer porque eu sou chamado de crachá. Crachá se coloca no peito. Na realidade eu ponho no peito de alguém, uma mensagem para despachá-lo pra outra vida, e por isso sou crachá.

Naquele momento, o até então Nicolau, teve medo! Como alguém podia usar de tanta frieza para comentar como matava suas vítimas... mas tinha certeza de uma coisa: viraria pistoleiro, ou viraria vítima de Crachá. Disfarçou o medo e perguntou qual seria seu novo nome. Pode ser bom- bom, respondeu Crachá. É doce e parece não fazer mal  a ninguém, mas acaba em verme.
...comedor de cabrito! O comedor de cabrito aí, saiu em sotaque de gíria, e a decisão de ser até melhor que Crachá, se fosse o  caso, estava firme. Estava na guerra, e na guerra, dizia Bom-bom, o Nicolau do passado, se mata ou morre...

Senhores, pra não me alongar tanto, dois anos depois, e depois de várias investidas juntos, e outras individuais, e quase presos, por várias vezes, Bom-bom, admirado por Crachá, pela pontaria que conseguiu; uma admiração que parecia inveja, na maneira de entender de Bom-bom, que já não confiava mais em Crachá, e Crachá, que por sua vez tentava parecer tranqüilo,  o que pra Bom-bom parecia uma armadilha. E pra não cair nela, na armadilha imaginada, decide numa tranquila manhã, quando ainda dormia o "amigo", acabar com aquilo. Exatamente: Crachá tinha que morrer. 

..."Serás pior do que ele"...

"O mau por si se destrói"...

E quanto a se juntar a alguém bom? Certamente não será melhor. Os discípulos de Jesus Cristo, se tornaram melhores que Ele? Impossível, eu diria. Pra começar, o bom é o limite que cabe ao nosso próprio e Bom Deus, que nunca será igualado por ninguém...

O texto acima está no
http://jeremiasregistrandomomentos.blogspot.com.br/

Aqui está corrigido,ou melhorado


Nenhum comentário:

Postar um comentário