sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Espírito natalino-Tradição somente?

Nesta época do ano, por tradição, os  grupos, como empresas, por exemplo, se reúnem para celebrarem as chamadas confraternizações. Confraternizações que alias deveriam estarem pautadas em um verdadeiro espírito do Natal de Jesus Cristo, já que a época é de Natal; e não de um natal qualquer.

Me refiro a uma confraternização de um partido político, na qual eu estava. Sem citar o nome do partido, mas... como me era permitido usar o microfone, quis falar o que sentia no momento. Falei de Confraternização, depois do primeiro discurso pautado puramente numa questão partidária. Não critiquei, falei do sentido verdadeiro da confraternização e, mais uma vez falei da minha falta de credibilidade no partidarismo, apesar de fazer parte, como filiado, de um partido político, acrescentei.

Ao usar o microfone, o fiz porque, depois do primeiro discurso, a pessoa que o fez franquiou a palavra, e só eu aceitei, contudo, quando terminei de falar, uma outra pessoa pediu, e o fez, pelo o que demonstraram suas palavras, para combater o que eu disse.

Mas, senhores(a), combater alguém, deve ser mesmo típico do partidarismo, do poder que visa mandar, e é por isso que vivemos na penúria. Não se visa combater as desordens de um governo, mas, tomar o governo para si, e continuar com os desmandos, com o argumento de "Eu não vim para consertar o mundo".

Senhores(a), que pelo menos nesta época...do Natal de Jesus Cristo, se busque combater o erro, e quem sabe, viver um pouco do "Amai-vos uns aos outros", pregado por Jesus Cristo.  Este é mesmo "um discurso antigo", mas prefiro ele do que os modernos, que fazem voltar ao passado, cuja "abolição" aconteceu em 13 de Maio de 1888.

Um Feliz Natal...para cada um de nós... Nata de Jesus Cristo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário