sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Um pouco do que aconteceu com o Sargento Diogo.

  1. Quando eu soube do incidente que envolveu o Sargento Diogo, escrevi este pequeno texto:

SEGUNDA-FEIRA, 4 DE NOVEMBRO DE 2013

Ao Sargento Diogo do 15º Batalhão da Polícia Militar do Maranhão-Bacabal


Depois da divulgação do incidente, que culminou com o ferimento à bala, ao Sargento Diogo, cidadão que por várias  vezes tirou um pouco de seu tempo para uma conversa informal com o blogueiro, que no momento escreve, e com muita tristeza, em relação ao  fato triste ocorrido, esperei para saber sobre o  real quadro de sua saudê.

Não costumo fazer este tipo de texto, mas, ao amigo, creio que posso assim chamá-lo, ao Sargento Diogo, estou fazendo. Lamento pelo acontecido e espero que sua recuperação seja certa. Me limito a  não abordar sobre quem disparou contra ele, a mim não cabe julgar quem quer que seja, no entanto, é lamentável o aumento assustador da onda de crime em nossa região. Sei que a sociedade pode superar a muitos dos seus problemas. Talvez o segredo esteja em pregar e promover o bem. Sei, que quando começar de mim, que assim acredito, será possível. Que Deus seja o nosso maior alvo.
  1. Carta Aberta de um soldado ferido

    Mais um dia se passou em Paulo Ramos, cidade esta localizada no coração do MA, a noite se inicia, é domingo dia 03 de novembro de 2013, um dia normal.
    Mais um serviço POLICIAL MILITAR ate então normal.
    O telefone toca e, alguém faz denúncia de poste ilegal de arma de fogo, também fato normal em nosso dia-dia se, o acusado não se tratasse de alguém da família FREIRE/ANDRADE.
    A saber, Alexandro que em outra data já fora conduzido ao DP de Paulo Ramos, onde na ocasião reagiu, dando bastante trabalho para ser dominado pela equipe PM.
    Mas, é o nosso trabalho, nossa missão constitucional e, o bom combatente não foge a luta. E assim, mais uma vez localizamos e abordamos Alexsandro, que também, mais uma vez reagiu enfrentando sem medo e com extrema brutalidade, aos três PM’s armados.
    Foi bem mais difícil do que da primeira vez, tivemos quer feri-lo em uma das pernas para poder dominá-lo e desarma-lo.
    A ocorrência parecia contornada, mas, ao chegar com mesmo ao hospital, na intenção de que o mesmo recebesse atendimento médico, por conta do ferimento na perna, apareceu seu tio Sivaldo Andrade Silva, que de maneira covarde e traiçoeira, desferiu três tiros neste signatário, dos quais acertaram dois .
    A ocorrência evoluiu, uma das balas atingiu minha coluna vertebral, me deixando totalmente imóvel ao chão. Um dos PM’s que estava comigo correu, ficando apenas um.
    Procurei manter a calma, já não podia fazer mais quase nada, porém continuava lúcido e orientado, e sentia que o perigo continuava nos rodeando. O único PM que me restou, estava aflito se encontrando só, e olhando seu comandante no chão gravemente ferido.
    Mesmo assim ele prosseguiu administrando a situação, mantendo as pessoas afastadas, chamando o pessoal do hospital para prestar os devidos cuidados médicos, pedia reforço policial, e ao mesmo tempo atento aos possíveis ataques e represálias da família FREIRE/ANDRADE.
    O que não se esperava era que, o inconsequente Alexsandro tentasse mais uma loucura, momento em quer o referido PM passava perto do mesmo, tendo Alexsandro tentado tomar uma das armas do PM, fazendo com que o mesmo agisse rápido, e em legitima defesa, efetuando dois disparos em Alexsandro, pois, estava só e sabia com quem estava lutando e o risco de vida que estava correndo.
    Eu tinha quer ser socorrido a outro hospital, porém, o motorista da ambulância que estava de plantão, por medo da família FREIRE/ANDRADE, de interceptarem a ambulância na estrada, se negou a presta o seu serviço fazendo minha transferência à uma unidade hospitalar de maior porte. Mas, tive sorte, apareceu um voluntario e fui socorrido.
    Falando tanto da família FREIRE/ANDRADE, preciso citar os principais crimes cometidos por membros dessa mencionada família, baseado na vasta lista de ocorrências policial apenas no município de Paulo Ramos:
    Nelson FREIRE, acusado de ter matado JOSÉ ROGÉRIO em 15.08.1998.,
    ANDRADE acusado de ser mandante da morte de seu meio irmão, vereador FRANCISCO onde na ocasião também fora assassinada uma senhora, fato ocorrido no povoado Jejui, em janeiro de 2009.
    Welson Lopes de Andrade “Enfim” assassinou Rosilene Feitosa Rodrigues, então companheira de seu pai em 27.02.2012;
    Sivaldo Andrade Silva, que atentou contra minha vida, na noite de 03.11.2013 também já havia praticado outros crimes em Paulo Ramos, nos anos de 1981 e 1984, crime contra a liberdade sexual e crime contra a vida (homicídio) respectivamente.
    Sem falar nos crimes ocorridos em Lago da pedra e em outras regiões praticados por membros dessa maldita família.
    Estou ferido, gravemente ferido mas, continuo lutando, continuo sendo Guerreiro. O Estado também foi ferido resta saber se vai continua lutando por Justiça juntamente comigo.



    Francisco Oliveira Diogo
    1º SGT PM


    ResponderExcluir
  2. Lutar contra as adversidades é dever...obrigação mesmo, de cada um de nós. Para o policial, que aceitou trabalhar, ou lutar contra as desordens que atrapalham a sociedade, é obrigação e faz parte dos desafios do seu dia a dia. Estamos todos sujeitos a momentos desagradáveis, como o que surpreendeu ao amigo Sargento Diogo, mas desanimar não convêm. Certamente, a vida é maior que todas as adversidades. Feliz Natal e um Ano Novo de superação. São os votos do fotógrafo e amigo Jeremias

Nenhum comentário:

Postar um comentário