quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Vaquejada! Esporte para guerreiros...

Vaquejada...momentos bons de se ver...das arquibancadas









Uma platéia parecida com outras. Pronta para assistir o que vai acontecer: Dois Vaqueiros...ou Cavaleiros, Vaqueiras, ou Amazonas. Chamem como quiser. Pessoas montadas a cavalos, homens ou mulheres. Uma dupla que aguarda um boi, que sairá dali, daquela porta...ou às vezes, se recusa a sair, mas, na maioria das vezes, sai correndo...




Ali, atras do cavalo preto, tem uma porta, de onde deve sair um boi assustado, e é por isso que sai correndo...



Um amplo espaço de aproximadamente 150 metros. Mas o  boi será derrubado entre duas faixas com um espaço de 10 metros de uma para a outra. assim, a dupla que conseguir, marca ponto.











Até ai vai tudo bem...ou: vão...











Não por muito tempo, alguém pode ficar para trás... do cavalo.











Em algumas vezes, todos se vão, até quem nos deu as costas para montarmos.


Pode ficar bem pior












...Porque, "nada é tão ruim que não possa piorar"...













Mas a vida segue...ou "continua"...














...Se não der certo, dá errado, e daí...






..."Um dia é da caça...outro do caçador". Algumas vezes caça e caçador podem ficar em posições bem parecidas...












Pode ser muito difícil, mas...














Pode dá certo.






Não dá pra se sentir um derrotado... 




É preciso levantar...






A gente fica com vergonha, mas disfarça, sorrir, e mesmo sem sacudir a poeira, vai em frente.





















Logo mais vem um  recomeço...















Pode-se comemorar.











...E comemorar mais...







No entanto, muitos trabalham sem parar, para que isso aconteça.







É preciso correr... para a esquerda...









Ou para a direita...
















Alcançar,









Tentar...

Pra não cair
















Às vezes, quase deu certo









Precisamos de uma platéia, motivo de empolgação...


.





...De um sorriso descontrído




















De um registro, que conte nossa história...














Depois, quem sabe, um troféu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário