segunda-feira, 31 de março de 2014

"Nossa realidade é esta". Pode ser mudada?



As provocações me fazem escrever algo sobre a política partidária. Não provocações de alguém dirigidas contra amim, mas de situações em que pessoas simpáticas, mesmo atreladas a um grupo político, da situação ou oposição, procuram me explicar algo sobre a realidade em que vivemos, e como dizem alguns, dificilmente pode mudar. Outros, por um motivo lógico, tentam me convencer, às vezes disponibilizando boa parte de seu tempo, para isso. E eu, senhores(a), sou grato a cada um, que seja deste ou daquele grupo, porque eu não sou de nenhum grupo político, apesar de ser filiado a um Partido. Não me dedico a escrever o que escrevo, pensando em ser chamado para alguma função, por parte da prefeitura ou da "oposição". Tenho um bom emprego, ao qual me devoto todos os dias de minha vida. O bom emprego a que me refiro, é a bonita profissão de fotógrafo, que aqui procuro exercer com dignidade, com acolhimento que esta cidade tem me dado.  Os registros que faço, o faço para todos que me solicitarem, independentemente de política partidárias, ou de posição social. Questiono como cidadão, a situação partidária de nossa cidade, porque aqui exerço minha cidadania, votando em um candidato, como fazem a maioria dos cidadãos desta terra. Quando contesto, não o faço por causa da mídia, ou pensando numa posição privilegiada ou de destaque, mas, porque acredito que posso contribuir para uma conscientização, mesmo com possibilidades remotas. Alias, todas as vezes que Deus chamou alguém para uma missão, ela parecia remota. Podemos constatar isso, na Bíblia, na missão dada a Moisés, ou ao profeta Jeremias, ou tantos outro profetas, ou até, quando veio Jesus Cristo, quando por exemplo, atendendo um pedido de Simão Pedro, permitiu que andasse sobre as águas, em sua direção.

Senhores(a), todas as tarefas têm lá suas dificuldades. A luta em busca de uma vitória, seja ela digna, ou nem tanto, não é fácil. Como pode ser fácil trabalhar a conscientização de um povo? sobretudo quando, quando ao longo do tempo, digamos, quinhentos anos, na descoberta do Brasil, quando nossos antepassados se tornaram colonos, submetidos a um Império, ou aos senhores, donos de nossos antepassados escravos, que mesmo depois de uma " abolição, ainda continuaram escravos?  e como sabemos, tais condições nos foram repassadas com herança. Dificuldades sempre teremos, mas isso não nos desanime. A missão que nos é dada, é para ser cumprida.

domingo, 30 de março de 2014

Assunto partidário


Desde garoto, numa cidadezinha do Maranhão, por nome Urbano Santos, acompanho "campanhas políticas". Aos dez anos de idade já ia aos comícios e gostava de ver o que os candidatos falavam. Meu pai votava, mas nunca dizia para quem, e assim nunca torcia para ninguém. Os candidatos, como por exemplo, um cidadão por nome Lourival, dizia: Roberto vota é comigo. Ele, meu pai não falava que não, mas se o outro dizia também que era para ele, que meu pai votava, papai confirmava.

Aos treze anos de idade, fui levado para um Seminário, queria ser padre, e no Seminário, se fava alguma coisa de política. Padre João de Fátima, por exemplo, um francês que ainda vive, em São Luís, e agora, com mais ou menos 83 anos de idade, falava muito sobre política, e parecia ter uma amizade com o governador João Castelo. Eu, como seminarista menor, agora com 15 anos, recebi permissão para participar de um grupo de jovens, CJUC, Clube de Jovens Unidos em Cristo, apesar da idade. O grupo tinha duas linhas, uma formada por pessoas que gostavam muito das coisas da Igreja, outra, se envolvia mais com causas sociais e falavam de política partidárias. Eu simpatizava os dois lados. De certa forma, todos se envolviam em tudo. Me  recordo de um curso de Primeiros Socorros, com o médico, Dr. Jácson Lago. Aquele mesmo que mais tarde viria a ser prefeito de São Luís, e mais...

A introdução acima, é só pra explicar, que desde os treze anos de idade vejo políticos discursando. Fico admirado com a humildade ou farsa...sei lá... de muitos. E fico impressionado com a mudança de comportamento, de candidato para... prefeito, digamos. Fico impressionado com eleitores...o povo, uns se conforma com tão pouco, outros, a ganância parece dominar.

O poder público, que teria o dever de orientar e conscientizar, ao meu ponto de vista, confunde e escraviza, porque se conscientizar, perde o domínio. E assim, com os Programas do governo federal, que visa passar quem está a baixo da linha permitida de pobreza para um degrau um pouco acima, tornam-se armadilhas que prendem e tolhem a mente dos que são contemplados, ou por outro lado, muitos dos contemplados se tornam aproveitadores, com ou sem o aval do governo. Isso porque, na preocupação de formar aliados, conscientizados ou não, deixam escapar a capacidade de conduzir, por um caminho de progresso, o povo, que aprende o vício do desmando, e tenta de um jeito ou de outro encontrar seu espaço.

sábado, 29 de março de 2014

Perguntas ao poder público



Quanto aos inúmeros Programas, que o governo federal dispõe, como por exemplo: para construção de casa, para tanques de peixes, agricultura e outros.

.Quais os critérios observados para que tais Programas cheguem ao povo?
.Quem faz a avaliação e  fiscalização, no que diz respeito aos que serão contemplados por eles? O governo Federal, Estadual, ou Municipal?
.Qual o percentual que o governo municipal recebe por cada Programa?
.Qual o real interesse do governo municipal, para correr atrás, por intermédio de deputado federal, desses programas ou projetos?
.O esforço visível do governo municipal, em relação aos programas para o povo, é para beneficiar o povo, ou se beneficiar, se apropriando do mérito do governo federal e da quantia que receberá pela intermediação de cada Programa?
.As Comunidades contempladas por tais Programas, prosperam?
.Se prosperam, então porque, Comunidades bem antigas, e que há muito tempo recebem tanta coisa do governo, ainda são escravizadas,  a ponto de precisarem permanecer como propriedades do gestor municipal?
.Porque a miséria parece se instalar nas Comunidades, como sendo parte delas?

Senhores(a), acredito que, se os inúmeros Programas do governo federal, que certamente visa tirar a população da miséria, e isso, diga-se de passagem, é uma exigência da ONU, ao Brasil, em virtude dos altos impostos  cobrados à população. Se fossem bem distribuídos,  o povo bem orientado, e o governo fiscalizasse  bem ,
a miséria seria com certeza combatida, por uma educação, que seria implantada, a partir da honestidade do governo que tem o principal papel de representar seu povo. 

Eu não sou obrigado a aceitar participar desse ou daquele Programa, mas, deve haver uma exigência rigorosa em relação a mim, se eu quiser  participar. Caso contrário, o chamado "sistema "está me sugerindo que eu contribua com a desigualdade social, quando por exemplo recebo uma casa do Programa "Minha casa minha vida", porque eu me escrevi, mesmo tendo várias casas, e recebi, porque tenho amigos influentes, que conseguem tudo o que querem...do governo.

Foi oficializado o lançamento da TV Ágape em Bacabal


Foi oficialmente inaugurada ontem, Sábado dia 29 de Março, em Bacabal  mais uma Emissora de Televisão. TV Ágape, filiada da Rede Super de Minas Gerais, que será assistida no canal 40. Tem como presidente, o Pastor Francisco, da Primeira Igreja Batista, e como diretor, uma pessoa muito conhecida na Imprensa de Bacabal, o sr. Carlos Henrique.

De acordo com o presidente, Pastor Francisco, a Emissora tem um diferencial: Não aceitará nenhum seguimento da política partidária, porque, como disse, as outras, todas já fazem isso. TV Ágape transmitirá, somente a palavra de Deus, que será levada a um raio de 30 quilômetros.


sexta-feira, 28 de março de 2014

Uma Nova chance...


Ao visitar um amigo, que quase morreu, vítima de quatro tiros de arma de fogo, pude ver o quanto se valoriza a vida, depois de uma tragédia.

Quando passamos muito  perto da morte, mas estamos conscientes do que conhecemos da  vida, é pavoroso deixá-la. Então, somos chamados a refletir.

O "Em tudo dai graças  a Deus", parece de fato fazer sentido, sobretudo, quando descobrimos, através da adversidade, o verdadeiro sentido da vida.


quinta-feira, 27 de março de 2014

O que representou a ultima manifestação popular em Bacabal


Eu não estava em Bacabal, mas talvez não teria indo vê-la, se estivesse, em virtude de não acreditar muito em atos de protestos partidários.

Na primeira que houve, eu pude presenciar vários brados que pareciam sinceros. Jovens universitários, jovens da Imprensa, jovens pintados, com cartazes com frases de protestos, como por exemplo: "Agora sim, o que?" ou: "me pintei todo de laranja e nada mudou".

Depois, já na 2ª edição da primeira manifestação, o prefeito recebeu uma comissão de representantes,  que não pareciam bem firmes no que reivindicavam. Antes, a Câmara, já os tinha recebido. O prefeito se sentiu bastante à vontade, ao receber a Comissão, a ponto de brincar, fazendo elogios, dizendo que gostaria de tê em seu quadro de funcionários, aqueles jovens, que demonstravam tanta inteligência. E até sugeriu que eles fossem até São Luís, falar com a Governadora o que queriam para Bacabal, pois assim, completou o prefeito, estariam ajudando o município.

Alguns dias depois daquele encontro, de "representantes"  com o prefeito, vi um daqueles  jovens, dos cartazes de protesto, contra o prefeito, acompanhando o grupo do mesmo. Fiquei sabendo depois, sobre uma negociação pessoal, dele com o prefeito. Vejam bem senhores(a): isso caracteriza, busca individual de promoção. Lutar junto com um grupo, para tirar proveito pessoal, é no mínimo ser desonesto. Mas...é natural, pelo menos na política partidária.

De acordo com o que foi comentado, a cerca da última manifestação, eram dois grupos: um contra o prefeito, e outro a favor. O grupo contra, representa a oposição, ou, alguém que quer formar um novo grupo, ou manter um, ou ainda, fortalecer os laços de parceria com os chefes do grupo, do único que existe em nosso município, que se divide em todas as campanhas políticas, para confundir o povo, que sem opção de escolha, apela para um ato costumeiro, prejudicial e vicioso: extorsão.

No caso do grupo que defende o prefeito, estão lá, defendendo um emprego, uma amizade proveitosa, ou alimentando uma esperança no que o gestor prometeu.  Mas, há um grupo neutro? Sem dúvida, representa uma minoria. Os desatualizados, que não conhecem, ou nem sequer sonham com os truques do partidarismo político. esses, desistem, quando descobrem que foram ludibriados por uma "manifestação".

Há um caminho para os insatisfeitos: No dia que pelo menos uma Associação, Sindicato, ou Grupo, decidir caminhar com os próprios pés, sem precisar do poder público, o poder que destrói, até a dignidade de um povo, nesse dia, o povo pode sonhar com um "governo do povo, pelo  povo e para o povo". 























































































































































































































































































































































































































































































































































































quarta-feira, 26 de março de 2014

Mais uma greve, da PM e Corpo de Bombeiros no Maranhão.

Nova greve teve início na data do 26 de Março., ontem, Quarta Feira, portanto.


De acordo  com informações, Policiais do 15º BPM a aderiram. A exigência, é por um reajuste de 18% no salário, condições que lhes garantam mais segurança no  trabalho que desempenham, e cumprimento de alguns acordos firmados na negociação  da greve de 2011.

De acordo também, com comentários, a insatisfação aumenta entre os policiais, sobretudo quando se trata de assistência médica, quando se faz necessário.  Bacabal conta com alguns casos, onde Policiais são vítimas de acidentes e incidentes no trabalho.



Mais detalhes da referida greve, postaremos, assim que se apresentarem algumas novidades.





domingo, 23 de março de 2014

O homem que decidiu não mais votar...

Aos dezoito (18) anos de idade Cizisnande, pela primeira vez votou. Era a eleição para eleger deputado, senador e  governador. Para deputado, votou em um amigo de infância, para senador, escolheu um homem muito rico, que estava saindo de governador. Ele tinha uma boa referência, havia levado água para a cidade de Cizisnande. A distância de aproximadamente duzentos(200) quilômetros foi interligada por milhares de canos que saía de um rio. Aquela era uma grande obra, pensou Cisisnande. Não conhecia muito bem os dois candidatos a governador, mas escolheu o nome mais badalado e "arroxou" um "X" no quadrado de seu nome. Não tinha dúvidas, para o jovem de dezoito(18) anos, acabara de exercer um papel de cidadania e tanto.


Dois anos depois, agora na escolha de prefeito e vereadores, novamente...faz sua escolha: votou num amigo, como fizera parta deputado. E assim, durante 22 anos o amigo da nossa historia, Cizisnante, continuou, sem se importar muito, se os representantes que ele escolhia, fazia ou não o que devia.

Um dia Cizisnande viaja para a capital do seu estado, e acabou ficando lá por muito tempo. Ficou muito surpreso quando começou a saber a respeito dos seus políticos, daqueles cujos nomes costumava escolher nas urnas. Nunca ele podia imaginar que alguém com um discurso tão bonito podia se envolver com coisas desonestas, como por exemplo, desviar o dinheiro que deveria ser da saúde e outras...

Uma decisão um tanto radical demonstra a decepção de Cizisnande: resolveu que não mais votaria. Não depois de ver que ficaria bem pior, uma vez que isso não traria nada de grandioso, nem pra ele, nem para ninguém. Uma revolta besta, podia-se dizer.

Cizisnande, senhores(a), é mais das uma ilustração que costumamos fazer, que me representa, com toda minha empolgação, ou com minha decepção. Ambas situações produzidas por mim mesmo. Somos responsáveis por quase todos os estados de espíritos que nos sobrevêm. Somos assim, culpados, e bem pior ainda, quando não admitimos isso.

Estamos nos aproximando mais uma vez, de uma campanha política. O momento, por natureza, é de uma "batalha", onde os amigos, os parceiros, os do mesmo lado ou grupo, passam por uma série de itens, cujas respostas selecionam  quem vai para onde. O povo mostra o que vale. A atitude de cada um de nós, mais uma vez, aponta o deputado que vai ser eleito, o senador e o governador. A força que temos será aplicada a nosso favor ou contra nós. As necessidades que temos, e as que iremos fabricar, nos sugerem tomar uma posição:  bem parecida com a que o goleiro toma, para segurar a bola, que premiará seu time com a vitória. Pegar, ou tentar pegar, a maior quantia, que nos possibilite fazer a casa que precisamos ter, comprar a fazenda que já visualizamos, o carro, parecido com o que o amigo(a) ganhou do prefeito, ou até mesmo a Sede, da Associação do Bairro...que até parece um engrandecimento da sociedade, e seria, se não caraterizasse uma compra comunidade, que continuará com os olhos vedados para não encontrar o caminho, cujo horizonte mostra a força que tem.

"Discurso atrasado,  filosofia barata, ou papo de quem não recebe uma quantia para está do lado de prefeito"...a interpretação dos nossos textos cabem aos leitores, que nos honram, ao acessarem nossa página. A "liberdade de expressão", com respeito, é para a imprensa, que hoje se estende a todos nós, da Televisão, do Rádio, dos Jornais ou revistas, da Internet, dos que escrevem, ou dos que se agrupam nos chamados "Senadinhos", nas esquinas ou praças. Da Imprensa que somos todos nós, que nos entendemos, ou que nos agredimos, que plantamos ou arrancamos, que construímos ou destruímos. Esta é a Imprensa, o povo que luta para vencer, embora por caminhos destorcidos.


segunda-feira, 17 de março de 2014

Uma sugestão às reclamações no Facebook


"Todo o governo tem a cara de seu povo"! No dia que o povo mudar,de escravo para livre, saberá escolher um representante, e não escolherá um "senhor".. Reclamar, sugerindo uma saída, é uma forma sensata de revindicar os direitos. Reclamar por hábito, ou porque é bom está na mídia, encima dos erros dos outros, é como querer arrancar ortigas para plantar cansanção. Foi o que alias, fez o atual prefeito, quando era candidato, juntamente com seus assessores. Eles apontavam os erros de Lisboa, que, de acordo com o agora prefeito Zé Alberto, e os seus assessores, deixou um "rombo" muito grande no município, mas não dizem, que o tal rombo, foi feito pelo grupo de Lisboa, que inclusive bancou uma campanha, também para deputado federal, do excelentíssimo...deputado Alberto Filho..E nos palanques, senhores(a), os discursos do grupo que hoje nos "representa", foram todos encima dos erros de Lisboa. E foram  tantos erros...fato que gerou quase 8 mil votos na dianteira. Senhores(a), somos o povo. Brigamos uns com os outros para defender o nosso candidato, e depois vamos ao meio de comunicação mais democrático já visto, a Internet, para reclamar.Se um dia, alguém com o temor de Deus, assumir a frente, e não aceitar ser corrompido pelo poder que conhecemos na política partidária, então mais uma vez o  governo terá a nossa cara... de povo que saiu do cativeiro.

Como seres humanos, senhores(a), somos tão limitados, a ponto de nem merecermos elogios, porque, às vezes "fazemos com as mãos e desmanchamos os pés". E ainda convocamos um exercito de meios de comunicação, para falar o contrário do que fazemos. Enriquecemos às custas de um povo pobre, que morre de fome. Tiramos do povo, até a vida que a natureza lhe deu, e pagamos para a imprensa divulgar o "progresso". Não tememos a nada nem a ninguém, porque temos poder...até de calar, por bem ou por mal, se for o caso, quem quer que seja. 

Geramos a miséria e pagamos ainda mais caro para combatê-la. Somos cruéis uns com os outros, e fazemos de tudo para defender o que vai para nossa panela, como costuma falar um "amigo".

sábado, 15 de março de 2014

Sargento Queiroz...


Certamente deixa uma marca! As vezes que o vi, estava sorridente. Mesmo no trabalho, quando tinha em sua responsabilidade, por exemplo, as viaturas, inclusive quando precisava levá- las à oficina para o conserto, ou nas confraternizações da PM, ao longo de aproximadamente 13 anos, o tempo que tenho como Fotógrafo da Polícia Militar. Não recordo se alguma vez esteve sem a família.

Ao Criador, que certamente determinou, e com Sabedoria, o curso da vida humana aqui, e que certamente tem em suas mãos o destino de tudo, sobretudo da vida, que a Ele pertence, honra e glória de nossa parte, porque, "em tudo dai graças Deus" (1 Tessalonicenses 5)

A ele, o Queiroz, uma feliz vida...nova! Aos familiares, a compreensão, de que, é ao Bom e Gracioso  Deus, que pertencemos.

Um comentário feito no Facebook


Acredito que haja algo melhor a ser feito pelos políticos...do governo ou não, e que  tenha melhor efeito, do que discursos. Discursos muito bonitos, alias,  já foram bastante ouvidos neste Maranhão. Muitos deles certamente, ajudaram a enriquecer financeiramente aos que os pronunciaram, sobretudo em nome da "Democracia". Muitos discursos ricos em palavras...de um bonito português dirigidos a uma massa escrava de sua própria crença...de que chegará um "salvador da pátria".. Uma sugestão senhores(a): Quando o povo, do qual eu faço  parte entender que a união organizada, pode mudar a nossa história, deixaremos de nos oferecer como escravos.. Nenhum Político contudo, fará isso. Já temos quinhentos de Brasil, e nunca aconteceu. Ou o povo muda de atitudes, ou seremos escravos, nós, nossos filhos e nossos netos. Quando por exemplo, as nossas associações resolverem caminhar com os próprios pés, ao invés de aceitar ser iludidas por aproveitadores disfarçados de representantes do povo,  o município terá dado um passo à frente.

Posso acrescentar:

Senhores(a), é triste, mas compreensivo, ver como nos deixamos, e até pedimos para ser escravos. Contudo, se atentarmos para a nossa força, digo a do povo, ficaremos ainda mais angustiados! Uma multidão de homens e mulheres, de todas as idades, muitos, dentre nós intelectuais, deixando de acreditar no poder da liberdade. Votamos em alguém, ou pedimos votos, para nós mesmos, para aumentar ainda mais a descrença...


sexta-feira, 14 de março de 2014

Boeiras e Esgotos entupidos: Mais um problema

Em Bacabal, os buracos nas ruas não estão sozinhos, como problemas. Só estão mais visíveis. Fica mais fácil mencionar quais os setores que não estão com problemas, ou que estão com menos problemas.

A BR 316, na altura  da Cohab III  e em frente  à Empresa Multigado,  chega a ser coberta pela água durante a chuva, em virtude de uma boeira entupida, e de acordo com moradores vizinhos, do local, já aconteceu ali, um deslizamento de um automóvel, que chegou a sair da pista, e por pouco não virou.










quinta-feira, 13 de março de 2014

...Há 88 dias da Copa do Mundo no Brasil


No ano de 1950 o Brasil sediou uma Copa do Mundo. Era a quarta edição do evento. Agora , em meios a aplausos e protestos, sediaremos a vigésima.



terça-feira, 11 de março de 2014

Avião desaparecido

Buscas na Ásia vão ao Estreito de Malaca, onde avião entrou após desviar rota




Mudança de rota acrescenta confusão e mistério sobre um dos incidentes mais enigmáticos da aviação em épocas recentes

O Boeing 777 que desapareceu com 239 pessoas a bordo no sábado (8) mudou de rota sobre o mar, cruzou a Malásia e alcançou o Estreito de Malaca - centenas de quilômetros distante da última posição registrada por autoridades civis, disseram oficiais militares da Malásia nesta terça-feira citando dados de radar
Veja mais:

sábado, 8 de março de 2014

Resposta às reclamações do Facebook


O ser humano é capaz de assimilar ...acredito, quase tudo, até a falta de capacidade de crescer. Então surge uma outra alternativa para a sobrevivência: Posso ganhar "de graça"! Há um engano aí...não sai de graça o que vem dos "políticos", pode saí até mais caro, porque contamina todos os fracos, e tem um poder de enfraquecer os que se julgam fortes. Eu hoje dou a alguém uma coisa, e digo: me ajuda, amanhã te dou mais. Amanhã eu, realmente dou. Continuo sendo ajudado e "ajudando". Assim, chega um dia que não preciso mais dizer que vou ajudar, a pessoa já trabalha para mim. Na política é assim, só que o contagio é maior, porque é associado ao: "é o dever dele", se diz assim sobre o "político" que "ajudou". Querem ver uma coisa? o meu amigo Fábio da Van, irmão de uma pessoa que admiro muito, o Paraibinha...Fábio foi um dos mais fortes cabo eleitoral do candidato que hoje é nosso prefeito, o pior que já vi em Bacabal. Ele, o sr. prefeito, de acordo com o próprio Fábio, prometeu um cargo de Secretário. Não cumpriu a promessa. Parece que em troca da secretaria, pagou vinte mil, por isso Fábio "detona" nosso ilustre prefeito. Agora, uma pergunta: os senhores acham que se Fábio, fosse hoje Secretário, estaria fazendo oposição? ou seria um dos que estão lá defendendo? Senhores(a),eu sou, talvez o fotógrafo e blogueiro mais fraco de nossa cidade. Bacabal me acolheu e me sustenta, e também eu quero ajudar, não a fazer uma manifestação que se caracterize uma sugestão de me vender, mas, se seguirmos, pelo menos um décimo do  mandamento "Amai-vos uns aos outros". Eu ajudei formar um grupo, cujo estatuto ainda em andamento, para formar um Caixa, que ajude a tirar os membros das dificuldades financeiras. O Caixa já existe. Não pretendo me candidatar a nenhum cargo político, mas quero ajudar a organizar um grupo que realmente queira fazer a diferencia. O povo unido e organizado, sem demagogia e sem hipocrisia, pode mudar o destino de seu país. O resto, é balela.

Dia da Mulher


Na realidade, dia da Mulher, ou dia do Homem, é comemorado todos os dias pelo universo afora. É provável que, quem quer que tenha sugerido um "Dia da Mulher", tenha feito por reconhecer a sua grandeza, e certamente foi, não importando muito os motivos que o induziu. Reconhecer a grandeza da criação de Deus, independentemente de um ato romântico, é a lei da natureza.

Temos a necessidade de reconhecer o poder da mulher. Não o poder interpretado do ponto de vista de quem teme o avanço humano, não o poder de destruir ou de vingança, não o poder de acreditar numa superioridade, não o poder de superar. Certamente, quando o Criador fez macho e fêmea, foi com um propósito: Enchei a terra, dominai sobre tudo que nela há.

Não deveríamos necessitar de leis em defessa da mulher, ou da criança e adolescente, ou do próprio homem. Todavia não temos observado os mandamentos do nosso Deus. Do que chamamos de nosso Deus, mesmo despercebidamente. Não deveríamos nos preocupar com Lei "Maria da Penha", no entanto somos maus...homens que querem ser donos de mulher, sem amar e sem se fazer amar. Ou mulheres,  que acreditam que a solução é se igualar ao homem no erro, quando se sabe que nunca serão igual no trabalho, até em virtude de sua fragilidade física, e é por isso que precisam de braços fortes e protetores dos marido...companheiros...não de um gigante que as massacre. E o homem é mau, que esquece ou não se importam com seu verdadeiro papel, "terás que viver do suor de teu rosto", às vezes faz tudo errado, e por isso, achando Deus, que o homem estava muito só, deu-lhe um sono, e enquanto dormia, tirou-lhe uma costela e fez dela  sua companheira. "Eis a carne de minha carne e ossos dos meus  ossos". Mas, será seu problema, se não for  companheira. Mais valiosa que qualquer jóia, é a mulher virtuosa, para seu marido. A virtuosa, não a "toda poderosa", que pisa no pé do marido e lhe diz: "me toca, pra ver se não te ponho na cadeia"... 

Cada um de nos temos  um papel! Cuidemos dele.

Feliz dia da Mulher, são os votos do Blog do Jeremias.



quinta-feira, 6 de março de 2014

É para a liberdade que Cristo nos libertou”.

Campanha da Fraternidade
Tema: “Fraternidade e Tráfico Humano”
Lema: É para a liberdade que Cristo nos libertou”


Durante quarenta dias, antes de começar seu trabalho, Jesus Cristo mergulhou num deserto, para experimentar as dificuldades... até mesmo de enfrentar as tentações de satanás.

Como divino, não precisava de treinamento, mas, como tinha que conviver com os pecados, dos que o levariam até ao extremo...morte na cruz, precisava se esvaziar de si, para se encher do Espírito Santo. De acordo com a bíblia, foram quarenta dias de retiro. Até, que ao término da tarefa inicial, aparece satanás, todo cheio de poder, cheio de motivos para tentá-lo à queda. E com bons argumentos, conhecedor da história da humanidade e dos propósitos de Deus para com o homem, e ainda com autorização para fazer sua parte, não exitou. Aproveitando o momento de fome de Jesus cristo, sugeriu que transformasse pedra em pães, para mostrar que era filho de Deus. quando teve a resposta de que, nem só de pão vive o homem, mas de todas as palavras da boca de Deus.

Explicando santanas, um pouco do Salmo, onde diz: Ele enviará seus anjos, para que, caindo, não se machuque teus pés em pedras, por isso, podes pular daqui, da torre do templo, e assim provas que és filho de Deus. Com uma resposta, também dentro da bíblia, Jesus responde: não tentarás ao senhor teu Deus, e sirva somente a Ele. Mas ainda lhe restava argumentos para testá-lo. E porque não fazê-lo?

E caminhavam, os dois, Jesus e satanás, é a bíblia quem diz. E pelo visto, era satanás que conduzia o diálogo. Até que chegaram num monte, de uma visão privilegiada, de onde podia mostrar toda riqueza da cidade de Jerusalém, a Jesus: estás vendo tudo aquilo ali? é meu, tenho poder sobre todos aqueles reinos, e te darei, só precisas te ajoelhares diante de mim, e me adorares...muito fácil, ficar rico. Nesse momento, é preciso encerrar o diálogo, se é assim que se pode chamar as ofertas de satanás. Encerrava ali aquele momento. Era hora de Jesus conduzir o destino final daquela conversa, onde satanás parece não se cansar de fazer suas propostas. Afasta-te de mim satanás. Já te dei tempo demais, porque era determinação de meu pai. A bíblia não fala tudo isso que escrevi, mas, Jesus pode ter dito muito mais  coisas, ou simplesmente tê-lo mandado ir embora, ou nem precisava ter aceito tanta conversa, por tanto tempo.

É tempo de Quaresma, período em que os cristãos revivem os quarenta dias de deserto, narrado pela bíblia. Podemos abrir mão de alguma coisa que nos satisfaz, em favor dos que mais precisam. E assim, se eu tinha que tomar um lanche, posso não tomar, e dá o dinheiro a alguém, que precise mais do que eu preciso do lanche.  Se fizermos isso, não é porque somos bons, mas, porque o próprio Jesus Cristo, que nos proporciona a vida, a saúde, o alimento, o conforto, nos manda fazer.  E quando por acaso fizermos isso, e alguém nos agradecer, peçamos para ele agradecer quem realmente deu a ele, que foi Deus. E mais uma vez, não porque a gente é bonzinho...se dermos não é mérito nosso. Não valemos muita coisa. Deus é quem é tudo.


Afinal, "é para a liberdade que cristo nos libertou"

Podemos qualquer coisa, sim


Sim, podemos qualquer coisa, dentro das normas naturais da vida. A natureza, e o Deus da natureza, quis assim. Uma terra repleta de riquezas, com tudo que todos os seres vivos precisam para se manterem vivos, até o tempo determinado. A diferença, em relação ao homem, é que, além de provê-lo de inteligência sem limite, ainda lhe deu o domínio de tudo. De tudo mesmo, até da destruição do semelhante e da sua própria.

Acabo de escrever um texto que fala do poder do povo. Não falo do poder de um grupo, mas do povo. O poder do qual falo aqui, não tem nada de novidade, em todas as gerações que a história nos fala, foi mencionado e não poucas vezes. Antes de Cristo, já se falava, com Cristo, cujo nome dividiu a história humana em duas partes, Ele mesmo reuniu por várias vezes multidões, falou do Reino de Deus e ensinou como fazer, para uma conquista justa, e falou da verdadeira riqueza que precisamos. Depois d'Ele, para continuar os ensinamentos, vieram seus discípulos, que pregavam nas  cidades e povoados, e alguns, por muito tempo, até praticaram. "os simpatizantes... cristãos, tinham tudo em comum", chegavam até vender o que tinham e dividir...sem demagogia.

Tudo isso, senhores(a),podem até não passar de "filosofia barata", no entanto, nunca vi alguma coisa funcionar corretamente, sem que fosse observado tais ensinamentos.

O povo pode inclusive obrigar os seus representantes a cumprirem seu papel, e nem precisa invadir a prefeitura, câmara, ou o que quer que seja. Alias, essa deve ser a forma mais errada, mas que a constituição aprova em partes. Quando o povo se organizar por ruas, por bairros, e depois por toda a cidade, e fizer Um Caixa, com o próprio esforço, sem pedir nada aos políticos partidários, sem nem sequer aceitá-los como parceiros, (porque todos são aproveitadores), quando descobrirmos nosso verdadeiro poder de sobrevivência, sem necessitar de esmolar o que nos cabe por direito...eles terão nossa cara...de homens e mulheres  de caráter, não de homens e mulheres cheios de ganância, que correm atrás das esmolas, sem se importar com os que não têm o mínimo para si e suas famílias.

Então, quando o candidato(a), chegar e oferecer uma quantia, uma parte daquela desviada, e você disser: amigo, em nossa comunidade não precisamos disso não. Seu dever era de cuidar do que o povo lhe confiou, se o senhor(a) não cuidou, não é nosso problema.

Imaginemos, que aquele cidadão(a), depois de percorrer dez comunidades, e ouvir isso, volte para sua casa e se pergunte: Que diabo está acontecendo? eu comprava esses "mortos de fome" até com um abraço falso! Dava um quarteirão de cachaça...uma esmola qualquer e o cara saía falando pra todo  mundo que eu era "o cara". Às vezes até pagava, digamos, a premiação de um torneio de futebol...são todos "mortos de fome"...já pensou?...ofereci 2 mil, e vieram dizer que não precisavam. Até parece que combinaram.

Senhores(a), só precisamos conhecer e usar nosso poder...o que recebemos do próprio Deus.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Um Representante do povo


Em meio a tantas reclamações contra a administração municipal atual, resolvi expor meu ponto de vista a cerca. Não estou expondo o que acho deste ou daquele gestor, mas, do que faz com que os gestores façam o que normalmente fazem.

Temos, o Brasil, um pouco mais de quinhentos anos de existência. No decorrer desse tempo, muitas reclamações do povo foram feitas, muitas atitudes tomadas, pelo mesmo povo, e também muitas punições contra os reclamantes e contra os ousados nas atitudes.

Quanto falo de atitudes e punições, lembro-me de um grupo de mineradores, de Minas Gerais, mais ou menos lá pelo ano de 1792. Desse grupo fazia parte o sr. José Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes. Em assembléia, decidiram que não pagariam o imposto atrasado, em virtude do volume. Fala-se de 768 arrobas de ouro. Essa foi a atitude, e como punição, depois de descoberto o plano para não pagarem, foi decretado a prisão de todos, mas, quanto a Tiradentes, que estava à frente da ideia, teve a pena maior. Depois de uma longo solenidade em desfavor, como se diz hoje, de José Joaquim da Silva Xavier, foi arrastado, enforcado e esquartejado. Assim ficava provado o poder que a Coroa portuguesa tinha, e que fazia questão mostrar, e que não tolerava nada que parecesse com traição.

O que acabo de escrever acima, foi apenas uma ilustração. Afinal de contas nossas punições de hoje são diferentes. Vivemos numa "democracia", onde o valor do dinheiro, alias determina. Mas, isso senhores(a), por culpa nossa, que trocamos nosso direito de escolher nossos representantes, por qualquer coisa sem valor. Digo sem valor, porque não acredito que aja algo para o ser humano, de maior valor, que a dignidade.

Quando o povo, eu e você, entender, que as esmolas dos políticos nos envenenam, e envenenam nossos filhos e outros familiares, ao invés de alimentar, passará a ter nojo delas. Não necessitamos de esmolas, precisamos do nosso sustento, adquirido com um trabalho que nos dignifique. Não precisamos esmolar o que é nosso, por direito. No entanto, pelo pecado da falta da união e da organização, perdemos o direito até de reclamar.

Devemos detestar, senhores(a), inclusive, as reclamações dos espertos, que visam nos ludibriar com seus discursos que parecem detonarem os maus gestores, porque eles fazem com um só propósito: se candidatarem, para quando lá chegarem, fazerem pior. Eles já sabem até o que vão dizer: encontrei uma cidade com um rombo muito grande, vamos precisar que o povo nos elejam por toda nossa vida, para podermos concertar o erro do gestor que saiu. 

Reclamar, é a coisa mais fácil, sobretudo da oposição, que é oposição porque não ganhou algum cargo, na gestão lá do fulano, porque se ganhar o cargo, vai defender a gestão, o que na realidade, é a defesa pela sua sobrevivência, porque não acredita no poder que tem. Poder, alias, que não é de uma pessoa, mas da população. Então, queremos reclamar? é um direito, mas vamos entender que precisamos reconhecer a nossa culpa: o gestor, e sua gestão, têm a nossa cara.

Sabemos que é difícil, mas, se atentarmos para o poder que realmente temos, a gente se liberta...

Centro Histórico de são Luís: Intocável ou abandonado?


Andando por algumas ruas do centro São Luís, resolvi fotografar algumas coisas...inclusive alguns prédios abandonados. O centro de São Luís nunca foi organizado, até onde eu conheço. Mas agora, com os prédios desabando, a imagem fica mais desanimadora.

Em 1997 a cidade passou a fazer pate do Patrimônio Histórico da Humanidade, indicado portanto pela UNESCO. Isso quer dizer que, sua história passou a pertencer ao mundo. A preservação das características originais, serão mantidas através de leis de proteção e restaurações. No entanto, parece ter alguma coisa errada, se fala de preservação.
















Preservado, intocável, ou abandonado ?

terça-feira, 4 de março de 2014

A favor da pena de morte no Brasil?


Em 1988 em Teresina-PI, na TV Timon, assisti uma simulação de dois advogados que debatiam sobre uma provável  pena de morte no Brasil. Um contra e o outro a favor.

Excelência, disse o advogado a favor. Imagine que o senhor tenha uma filhinha de treze anos, que cuidou quando criança, com muito carinho, e agora, na adolescência continua cuidando. Um marginal estrupa sua filhinha. Deveria o marginal, morrer ou não? Imagine, excelência, retrucou o advogado contra, que o marginal fosse seu filho, o senhor ainda queria para ele, a Cadeira Elétrica? Continuando o advogado contra, disse: Excelência, num país sem estrutura, quem seria morto era o pobre, que sem condição para pagar um bom advogado, seria condenado, e os pais veriam seus filhos serem mortos. Ao passo, excelência, que, para o filho do rico, seria contratado um médico dos Estados Unidos, se fosse o caso, atestaria que o acusado era louco, e não seria punido.

Senhores(a), resolvi escrever este texto, narrando o que vi em 1988 quando comecei meditar nos meios que proporcionam o crime em nosso pais. As estatísticas apontam as  drogas como principal vilã. E apontam o tráfico como responsável maior.

Certamente os representantes da nossa sociedade têm uma saída, só faltam divulgar e partir para a prática.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Morte de "bonetinha": mais um fato anunciado


Fotos tiradas do Blog de Sergio Matias,,,

Infelizmente temos que também, divulgar fatos lamentáveis. Alias, é o papel de todos que se fazem imprensa. Oportunidade, que temos de, além de divulgar, expor, de vez em quando  nossos pontos de vista e sugestões para a sociedade da qual fazemos parte.

Há muito, aprendemos que somos responsáveis, também pelos outros, além de nossos filhos, ou parentes próximos. A Igreja, Instituição cujo papel é evangelizar, procura, mesmo de maneira, às vezes falha, instruir a comunidade. A Família é convocada a cumprir seu papel. A Escola, segunda família, é igualmente convocada. O Governo, cujo Líder é o representante, em todos os sentidos, no que toca a organização da sociedade, tem em seu poder a tarefa de não deixar à vontade seu povo, na prática de delitos que prejudiquem o outro. Isto, certamente é possível, mesmo num sistema de Governo Democrático. Porque sabemos o que significa Democracia, uma forma de governo, digo, de organização, descoberta pela mãe Grécia, quando se trata de civilização. Boa parte do mundo ocidental aderiu essa maneira, ou pelo menos o nome, já que tem um significado muito bonito: "Governo do povo, pelo e para o povo". Não o governo do mais forte, em poder financeiro, ou poder de manipular, ou obrigar, usando a força, nem muito menos, governo de um demagogo, demônio que se veste de anjo, e com o poder de oferecer o mínimo, máximo, entendido por um povo desprovido de oportunidades, o que oportuniza a miséria capaz de matar de fome ou de doênça, suas vítimas.

Pode parecer um discurso, senhores(a). No entanto, qualquer um ser humano é capaz de se expressar assim, mesmo que não seja com palavras escritas ou faladas. O desespero pode ser expressado até mesmo com gesto, de dores, ou de tentativa de sobrevivência, muito embora a chamada "lei da sobrevivência", pareça nos instruir para a ganância, maneira indevida de conseguir o suficiente para a sobrevivência, que feita de uma maneira egoísta, tentamos pegar bem mais, sem a preocupação se o outro vai ou não ter alguma coisa, e sem, também entender, quer, se o outro não conseguir, vai, de uma maneira indevida nos roubar, uma vez que o "sistema parece nos sugerir para qualquer ponto que não nos deixe ficar sem nada.

Tudo isso, porém, é nossa culpa. Minha, que tive a oportunidade, de quando adolescente, estudar num Seminário, estudo que me levaria à ordenação sacerdotal, quando teria a  missão de pregar, com a vida, mais do que com palavras, o Evangelho de Jesus cristo. É culpa sua, que tem um poder financeiro, que lhe permite ostentar algum luxo, de oferecer boa Escola aos filhos, ou outras coisas mais. É culpa sua, cidadão, que tem um poder político, dado pelo povo. Muito embora você acredite que comprou...com o dinheiro alheio, do governo, que não cumpriu seu papel de proporcionar o bem -está ao povo, para sobrar o dinheiro para a compra de voto, muito embora você não tenha sido o líder, mas pode ter recebido do líder, que usou indevidamente. E não menos culpado, é o povo, que sem poder ver, ou querer ver o mal que fez, quando aceitou, ou pior ainda, foi procurar o político com a "proposta indecente" : "Quero me vender ao senhor(a), e também vender o grupo que faz parte da Associação, da qual eu sou o presidente. Aceito qualquer proposta, vou dizer o que o senhor quiser que eu diga, porque eu sou  boneco. Vou dizer que o senhor é...deus, tudo bem, eu digo. Todo mundo faz isso, porque o senhor não pode dizer?

Uma sugestão: União e Organização do povo, acredito, é a solução. Não foi eu que disse isso, eu não seria capaz! Ceta vez, um Homem, o maior dos homens, e mais uma vez, não sou eu disse isso, depois de ensinar a uma multidão de gente, Jesus cristo pediu que se organizarem e dividissem o que tinham. E ninguém ficou com fome. Fatos assim, fizeram com que seu nome fosse, e seja cada dia mais divulgado, até pelos que não O têm como Filho de Deus.

Muito obrigado!

Desfile dos Blocos carnavalescos de Bacabal




Estivemos fazendo a cobertura de todos...com imparcialidade.

Todos dignos de elogios, o que reforça a certeza de que as manifestações de alegria de um povo são mais fortes que as dores que causam seus lamentos.

Evitamos comentar sobre os Blocos. Nos limitamos em postar algumas fotos, e com esforço para não fazermos propagandas


O desfile inicia com a Mangueira...que tem como madrinha, a senhora Graça Bessa.














Os Fuleiros...do Bairro da Areia


 





Turma que dá Shock, com organização de Melquíades










Vassourinha.com 













Avião Folia






Estação do Regaae, organizado por Edmarley











Lamb Copo










Tri Folia