segunda-feira, 31 de março de 2014

"Nossa realidade é esta". Pode ser mudada?



As provocações me fazem escrever algo sobre a política partidária. Não provocações de alguém dirigidas contra amim, mas de situações em que pessoas simpáticas, mesmo atreladas a um grupo político, da situação ou oposição, procuram me explicar algo sobre a realidade em que vivemos, e como dizem alguns, dificilmente pode mudar. Outros, por um motivo lógico, tentam me convencer, às vezes disponibilizando boa parte de seu tempo, para isso. E eu, senhores(a), sou grato a cada um, que seja deste ou daquele grupo, porque eu não sou de nenhum grupo político, apesar de ser filiado a um Partido. Não me dedico a escrever o que escrevo, pensando em ser chamado para alguma função, por parte da prefeitura ou da "oposição". Tenho um bom emprego, ao qual me devoto todos os dias de minha vida. O bom emprego a que me refiro, é a bonita profissão de fotógrafo, que aqui procuro exercer com dignidade, com acolhimento que esta cidade tem me dado.  Os registros que faço, o faço para todos que me solicitarem, independentemente de política partidárias, ou de posição social. Questiono como cidadão, a situação partidária de nossa cidade, porque aqui exerço minha cidadania, votando em um candidato, como fazem a maioria dos cidadãos desta terra. Quando contesto, não o faço por causa da mídia, ou pensando numa posição privilegiada ou de destaque, mas, porque acredito que posso contribuir para uma conscientização, mesmo com possibilidades remotas. Alias, todas as vezes que Deus chamou alguém para uma missão, ela parecia remota. Podemos constatar isso, na Bíblia, na missão dada a Moisés, ou ao profeta Jeremias, ou tantos outro profetas, ou até, quando veio Jesus Cristo, quando por exemplo, atendendo um pedido de Simão Pedro, permitiu que andasse sobre as águas, em sua direção.

Senhores(a), todas as tarefas têm lá suas dificuldades. A luta em busca de uma vitória, seja ela digna, ou nem tanto, não é fácil. Como pode ser fácil trabalhar a conscientização de um povo? sobretudo quando, quando ao longo do tempo, digamos, quinhentos anos, na descoberta do Brasil, quando nossos antepassados se tornaram colonos, submetidos a um Império, ou aos senhores, donos de nossos antepassados escravos, que mesmo depois de uma " abolição, ainda continuaram escravos?  e como sabemos, tais condições nos foram repassadas com herança. Dificuldades sempre teremos, mas isso não nos desanime. A missão que nos é dada, é para ser cumprida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário