terça-feira, 8 de abril de 2014

Ponto do vista - Política


No Facebook, mediante uma explanação que fiz sobre dois nomes, a serem apreciados pela preferência popular, alguém, talvez ironizando, me perguntou porque eu não me candidato, já que eu nunca me vendi. Só que eu não escrevi isto.

Mas, respondi:


Jeremias Pereira Dos Santos Amigo, eu deveria ser Padre, estive seis anos no Seminário, em São Luís. Entendi que não tinha vocação. Acredito que você precisa ter vocação, para fazer bem o seu trabalho. Ser representante de um povo, amigo, como Moisés foi para o povo de Israel, ou como o Rei Davi, ou como Mandela, na África do sul, ou ainda bem antes, como Gandhi,, na Índia, é questão de aceitar exercer um sacerdócio, e não de quem quer "meter a mão" no que é do povo. Expor meu ponto de vista, ou você expor o seu, amigo José Cosme, é nosso dever, assim como ajudar a descobrir um grande nome. Mas, amigo, eu não mencionei que nunca me vendi, e não é meu nome que está em jogo. Com meu respeito, amigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário