quarta-feira, 23 de abril de 2014

Vencidos pelos próprios atos

 Chuta lata

Galego

Os corpos de Galego e chuta lata

Infelizmente, senhores(a), precisamos noticiar fatos, que não trazem, a princípio, nenhum benefício á sociedade. Analisando bem, não há alegria, para ninguém, com a morte de quem quer que seja, sobretudo, em tragédias causadas por   atitudes de jovens que aceitaram se aventurar num mundo, onde sabe-se que não há vitoriosos. E o que é mais triste: num mundo onde a evolução caminha a passos largos, parecemos não ter controle sobre o mal. Evoluímos tanto, que podemos ver o mundo numa tela, encima de nossa mesa de trabalho. Mas, não a ponto de impedir que o mal se alastre, em nosso país, estado, município, bairro, rua, ou até mesmo em nossa casa. Alguma coisa errada, certamente acontece, e sabemos o que. Eu e você sabemos. Mas, nem eu, e nem você fazemos nada para impedir, porque acreditamos que não é problema nosso.

Enquanto avançamos com o progresso, nos especializando, ou nos graduando para alcançarmos um espaço maior, deixamos os pequenos erros de nossos vizinhos, ou de  nossos filhos, tomarem consistência, porque não percebemos crescerem. Nós e nossos representantes, que têm a nossa cara, somos mesmo negligentes. Cumprimos às vezes, à risca, todos as leis, mas não valorizamos a harmonia. E assim, quando o vizinho é afetado por algum mal, muitas das vezes, não interessa a nós, porque "o problema é dele". Ou ás vezes, quando presenciamos alguém, sendo acometido de algum mal, um assalto, por exemplo, nada fazemos, porque, algumas vezes, até pensamos em ajudar, mas tememos represália do delinquente, porque, divulga-se que não se deve reagir, e isto garante ao infrator, que seu caminho para o mal está livre.

E assim, senhores(a), são inúmeros os fatores que contribuem para o crescimento do mal. Poderíamos até fazer um pacote bem grande e colocar tudo na responsabilidade das principais autoridades, distribuídas nos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Nos isentaríamos  de qualquer responsabilidade. Alias, já fazemos isso.

Para encerrar o texto, faço aqui uma observação, ou sugestão: Analisando bem, nós, individualmente e nós sociedade, somos culpados pelos erros desta sociedade, e pagamos por isso, e lucramos com os acertos. E se quiséssemos, se observássemos, a maior exigência que a natureza, e o Deus da natureza, nos faz, que é união e organização, a síntese da vida, talvez, amanhã mesmo, começaríamos mudar nossas atitudes. E entenderíamos que, todas as especializações, doutorados e graduações, que nos proporciona a grande universidade da vida, que supera a qualquer complexo de Ensino, visa, em resumo, o aperfeiçoamento  do homem(ser humano).

Nenhum comentário:

Postar um comentário