sábado, 17 de maio de 2014

Porque a Imprensa de Bacabal só divulga os crimes?




O questionamento acima, é de Edilson Evangelista, um jovem que trabalha no SINE.

Como ele me confiou um papel com um texto, com o questionamento, inclusive com alguns nomes, que de
acordo com ele, deveriam estampar, como título principal da Imprensa de Bacabal, me acho no direito de responder, não em nome da Imprensa local, mas como Imprensa, também.

Edílson, não sei se você acessa o Blog do Jeremias, ou Jeremias Pereira dos Santos, no Facebook. Se já acessa, a resposta que aqui vou colocar, pode parecer um texto um pouco repetido. Se não acessa, vai entender para onde direciono os textos que posto na Internet.

Se atentássemos para o "É dando que se recebe", do Hino que se atribui a Francisco de Assis, ou São Francisco, mudaríamos muitos dos nossos questionamentos, em contribuição para o mundo. Muitas perguntas seriam traduzidas em respostas.


Quanto ao fato da ênfase, dada aos delinquentes, é obrigação dos Meios de Comunicação, fazê-lo, porque, divulgar é servir, uma vez que que a sociedade precisa de respostas. E a Imprensa, mesmo fazendo, de vez em quando, algo parecido com com o chamado sensacionalismo, tem a missão de divulgar, o bom, ou o ruim. Mas, senhores(a), é de natureza humana, não se divulgar tanto o lado bem das pessoas. Isso está Errado? Pode ser errado,  ou certo, dependendo do angulo visto. Divulgar o bem que faço, pode me envaidecer, e divulgando o mal que faço, pode me humilhar.

Certa vez, Jesus Cristo, disse: "Quando deres esmolas não divulgue". Assim, não receberás elogios dos homens, mas, de Deus, que vê o invisível.

Amigo, um outro motivo de não se divulgar muito o "lado bom" das pessoas, é que gera um certo confronto, com o que maioria de nós mostramos. Não somos bons. Mas, Deus é bom. 

A Imprensa não tem divulgado os atletas da cidade, ou os que se destacaram pelo mundo afora? deve não ter havido sugestão para fazê-lo. Se alguém foi contemplado, deve partilhar isso com a Imprensa, porque, se não cresceu o bastante para ser visto, deve pagar um preço para isso. Me recordo de uma frase de Margareth Thacher, a "Dama de ferro", como era chamada a Primeira Ministra da Inglaterra, durante a Guerra das Malvinas. A Célebre frase: "Se você tem que dizer o que você é, é porque não é".

Pode parecer sem sentido, e até pode parecer propaganda, a divulgação de atos delinquentes. Mas, senhores(a), isso causa inveja a alguém? A audiência que gera, é propaganda? se for, é negativa, e a lição que fica nisso, é que não é bom praticar o mal, a ponto de os Meios de Comunicação se ocuparem da divulgação dessas práticas.

Ao amigo que faz o questionamento, eu parabenizo, porque, demonstra uma certa insatisfação com a Imprensa. Ele cobra, e a Imprensa tem a obrigação de explicar. Além de explicar, e não sei se foi satisfatória a explicação, mas também vai uma sugestão: Caro amigo Edilson, podemos contribuir muito com o mundo, vivendo em prol do bem, patrocinando e praticando o melhor que temos. Sem muita preocupação com os troféus, porque eles podem não aparecer.











Edílson Evangelista

Nenhum comentário:

Postar um comentário