segunda-feira, 16 de junho de 2014

"Toda adversidade tem em si a semente de benefício igual ou maior"



"Toda adversidade tem em si a semente de benefício igual ou maior"


Deixamos de progredir por causa das adversidades. É o que acreditamos muitas das vezes, até que o tempo nos mostre o contrário.

Os chamados empecilhos, que nunca vão deixar de existir,  serão encontrados em cada esquina da vida, mas não para nos paralisar, impedindo que avancemos. Muitos dos homens ou mulheres se encontraram após uma tragédia. Ou uma Bênção disfarçada de tragédia.

O maior inventor de todos os tempos, Thomas Alva Edison, ficou surdo, depois que um homem o levantou do chão, pelas orelhas. Edison, quando criança vendia balas(bombons), nos trens coletivos, e uma vez, um homem, que estava no trem, pegou-lhe pelas orelhas, suspendendo-o do chão e  colocando-o no vagão. Numa entrevista, feita por Napoleon Hill, a Thomas Edison, anos depois, quando Napoleon perguntou se a surdez não significava uma desgraça em sua vida, vejam o que ele disse: "A surdez foi uma bênção para mim, impede que ouça as besteira que os homens falam. Só ouço o que vem de dentro".

No Livro, Paz de Espírito Riqueza e Felicidade, de Napoleon Hill, ele reescreve um pequeno texto da Lei da Compensação, de Ralph Waldo Emerson, onde Emerson prova que "Toda adversidade tem em si a semente de benefício igual ou maior".

Vejam:

 "A morte de um amigo, ou ente querido, pode parecer no momento, uma perca gratuita e irreparável, mas o tempo mostra que não. Como o molúsculo, que se arrasta para fora de sua concha bonita, mas dura, porque ela não permite mais que ele se desenvolva e lentamente forma outra casa, assim, o homem ou mulher, que permaneceria uma flor de jardim ensolarada, sem luz suficiente para seus ramos e sombra excessiva para seus botões, pela queda de muro e negligência do jardineiro, torna-se a figueira brava da floresta, proporcionando sombra e frutos a inúmeros vizinhos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário