quarta-feira, 16 de julho de 2014

Perdemos Muito, Por Muito Pouco!



Vamos aprendendo passo a passo, com o passar do tempo, e vamos também, repassando. Afinal, é para isso que estamos por aqui.

Cada vez que falo do que acredito como missão, do ser humano, me recordo de uma  aula de Karate, na Academia Real Karate, em São Luís, ministrada pelo Professor Robson Correia.   Ele dizia: "Se alguém que hoje está aprendendo, não tiver como propósito, ensinar, é melhor que amarre uma pedra no pescoço, e se jogue de cima da Ponte São Francisco, quando a maré estiver cheia".

Perdemos Muito Por Muito Pouco, é o título que recebi...do nada, outros talvez poderiam dizer isso. Mas, eu sei de onde veio. Nunca a vi, como está escrita. A crença em algo, quando é forte, se materializa. Pelo menos foi isso que os grandes filósofos,  no  decorrer da história humana, nos ensinaram. "Tudo é Possível ao que Crê". Foi Jesus Cristo quem ensinou isso.

"O mundo é teu mestre". Já  ouvimos isso muitas vezes. A frase não sugere que se busque a independência dos pais, quando se trata de obedecer. O mundo, no caso, é o universo no qual estamos inceridos. Cada passo, ou cada tropeço, servem, igualmente para nos levar para frente. As circunstâncias, é que são diferentes. Os empurrões propõem que recuemos.  O recuo, pode significar uma chance para voltarmos à base, que vai nos preparar para um novo passo.

A vida tem me ensinado tanto, que chego a me assustar. O que fiz num passado recente, se transforma em mensagens para mim, e certamente para muitos que buscam uma saída. Já recebi, mensagens, telefonemas, e cumprimentos, de  pessoas, na rua. E quando posso, agradeço, mas deixo claro que não estou fazendo nada de extraordinário, mas, só um pouquinho do meu dever.  

Os textos que escrevo, às vezes são longos, mas, não se canse. Leia. O que está contido na frase que faz o título deste texto, é a descoberta que fiz, a cerca da negligência que praticamos em relação às nossas obrigações.

Muitos dentre nós, aceita perder muito, e por muito pouco. Por uma pequena quantia não paga, perdemos um crédito de comprar, digamos, o valor  de um  milhão, que nos proporcionaria um grande investimento. Por falta de um olhar aos necessitados, deixamos de lado a graça, que receberíamos do bom e gracioso Deus. Por tratar alguém mal, fechamos, talvez, uma porta para uma grande parceria, com alguém que presenciou nossa atitude. Por não dar um pouquinho do que temos para comer, fechamos a porta das chances de amanhã, nós, ou nossos filhos, ganharem, num momento difícil, um pouco de comida.

Sejamos certos de que: Por conta de uma atitude negativa, em relação a alguém, nos privamos, de amanhã, receber,a ajuda que mais necessitamos.  




Nenhum comentário:

Postar um comentário