quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Tomar posse da bênção...!


O que pode significar isso? Muitos, provavelmente, escrevem sem se dá conta. Mas, é bom explicar.
Passamos a maior parte do tempo, pedindo algo, a Deus, quando na realidade, nem sequer acreditamos de verdade. Nem eu e nem você, acredita tanto, como costumamos pregar. E se alguém contestar isso, então Jesus Cristo deve ter cometido um equívoco, quando por várias vezes, chamou os seu discípulos de "pobres de Fé".

Pedimos, recebemos, e na maioria das vezes não percebemos que somos atendidos, porque acreditamos, que o que nos veio, foi por acaso, coincidência, e outras coisas. 

A falta da fé nos deixa a vida toda numa dúvida que não tem fim. A insatisfação toma conta  de nós, e às vezes fingimos ser Crentes. E nos iludimos para disfarçar nossas frustrações, que são tantas. O tomar a posse da bênção, pode não passar de disfarce de nossas dores.

Mas, o que seria isso? digo, tomar a posse...da bênção...?

Quando Pedro, o discípulo, Simão Pedro, viu o fantasma, que não era um fantasma, porque ficou sabendo que se tratava de Jesus Cristo, pediu para ir, também, andando sobre as águas, talvez para sobressair aos colegas...e Jesus, percebendo tudo, o permitiu: vens...eu permito. E a empolgação, misturada a um pouco de confiança, o empurrou, e caminhou, um pouco, até perceber que algo fora do comum estava acontecendo. Ele estava andando sobre as águas...e teve medo. Medo normal, para qualquer um de nós, inclusive, quando nos alto intitulamos de "crentes". Mas, não prosseguiu. Não tomou a "posse da bênção".

A Fé, da qual Jesus Cristo falou, está longe do nosso alcance, porque, como disse o rei Salomão, em sua oração, para adquirir a sabedoria, "tímidos são os pensamentos dos mortais, e incertas as nossas concepções, porque o corpo corruptível torna pesada a alma, e morada terrestre oprime o espírito carregado de cuidados.

Estamos, a todo instante recebendo as bênçãos, da vida cheia de mistérios. Nossos dias são cheios de turbulência, porque somos inteligentes, e não temos o domínio de tudo. E do pouco que acreditamos ter, não controlamos, porque, quando visualizamos o ponto de chegada, nossa vista embaça, e não sabemos se chegamos, porque, quando atingimos o marco, percebemos, que mais ali, aprece outro. E o temor de Deus, mais cedo ou tarde, é o que nos faz prosperar. 

Um bom dia! Uma boa tarde! Ou, uma boa noite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário