domingo, 5 de outubro de 2014

Ato de Amor e Cidadania


Durante a campanha política, este blogue divulgou textos, que sugere uma conscientização, no que toca escolher o novo representante, à luz do entendimento de que este ou aquele candidato, pode de fato fazer a diferencia. Chegou o dia. Logo mais, lá vamos nós, de nossas casas, em busca de votar no melhor. 

É impossível saber quem é o melhor, mas, não é tão difícil lembrar dos discursos dos candidatos, e nem muito menos, lembrar do hoje candidato, de como ele é na realidade, sem a maquiagem de bom moço(a).

Aquele(a) que falou por exemplo, que sua maior vontade é ajudar, ou continuar ajudando ao povo, procure saber quem é ele. Se ele está no poder, e falou isso, é só porque não sabe o que dizer, porque teve já sua chance de representar bem, e não o fez. Se ele ganhar mais uma vez, vai ser melhor, para ele e talvez para sua família, mas quanto ao povo, que se lasque. Se ele ainda não tem um cargo público, mas, é alguém influente, deve, pelo menos ter trago para o município, digamos, uma empresa, para empregar homens e mulheres, para que, recebendo seus salários, sustentem sua família com dignidade. Se ele, digo o candidato,  nunca procurou conscientizar o povo do qual faz parte, que é a maior ajuda que alguém pode fazer, então, ele quer é "se dá bem".

Então caro amigo(a), você pode perguntar: mas, se ele não fez nada disso, não vou votar para nenhum? caro amigo(a), existe, lá na urna, a opção anular. 

Amigo(a), há uma outra situação, que o amigo(a), talvez queira considerar. O candidato(a) é rico(a) e bonito(a). Então, se pergunte: ele(a) vai casar com você? se não, meu caro, a riqueza dele(a), assim como sua beleza não vai servir. Agora, se ele tiver dado a você, um dinheirinho...bom...! Você, assim como ele, caso haja uma prova do ato...ilegal, sim, vocês podem serem presos, pois isso já foi alertado pela justiça eleitoral.

Senhores(a), costumo me alongar nesse tipo de texto, que certamente, pode ser considerado por alguns, como uma "besteira", e eu não posso brigar com eles(a). Mas posso sugerir, que façam questionamentos, no sentido de ver a humanidade mais próximo do propósito do Criador, e um pouco mais próximo do "Amai-vos uns aos outros". Mesmo que para isso, seja necessário que eu abandone a vontade de roubar e a ganância de pegar tudo e deixar o outro sem nada. Mesmo senhores(a), que eu tenha que fazer um alto julgamento, e deixar de ser desonesto. Mesmo...não importa o que, e nem minha condição. Se ou pobre, ou analfabeto, mesmo assim, não estou isento de ser útil, a começar de agora. A vida é curta demais, e nossa missão pode nem ter ainda começado.

Que o Bom e Generoso Deus nos abençoe !!! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário