segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Discursos


Dignos, muitas das vezes, de admiração e aplausos e de uma meditação profunda, são os discursos sinceros, mesmo em momentos tristes, como os feitos por ocasiões de despedidas de pessoas que se vão.

Discursos também bonitos, dos palanques da politicagem, que inspiram as piadas e dão lucros aos humoristas. Isso, graças aos homens e mulheres sem escrúpulos, que acreditam num enriquecimento próprio, conquistado com hipocrisia. Que exaltam a miséria do povo e prometem um "paraíso", amanhã...depois da eleição.

Mas também, falo de bonitos discurso como o famoso "O ultimo discurso" do filme "O grande Ditador", do grande filósofo, que em tom de humor, conseguiu arrancar lágrimas da humanidade de sua época, e de todos os tempos. Charles Chaplin, que no filme que satirizou o Nazista Hitler, o austríaco, que liderou a Alemanha e causou a mortes de milhares de seres humanos pelo mundo, na segunda graande guerra mundial. 

No momento do seu discurso, o ator Charles Chaplin, fez desabar uma forte emoção sobre o mundo, que podia ouvir pelo Rádio, o maior transmissor da comunicação da época.

Ao se colocar diante do púlpito, para o Discurso, começou: "Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar a todos. Se possível os judeus...o gentio...negros...brancos.

Todos nós  desejamos ajudar uns aos outros..."

Muito obrigado...!



Ao fal

Nenhum comentário:

Postar um comentário