domingo, 7 de dezembro de 2014

Organização de um povo a partir do ponto de vista lógico


O que é um ponto de vista lógico?

Como o homem é um animal racional, e foi isso que nos ensinaram, a lógica é a palavra que explica a concepção de acordo com o raciocínio humano.

Pois é, um povo organizado, é um povo que pode determinar seu destino, para onde esse for direcionado.

Até aí, sem problemas. Mas, um planeta com 7 biliões e 300 milhões de pessoas, e cada uma pessoa dessa modesta quantidade, com um pensamento diferente...não é assim tão simples, quando se pensa numa organização. E é por isso, que cada uma nação forma um povo, com diferentes costumes e que é dividido por regiões, por estados, municípios, comunidades etc.

Mas, senhores(a), não se trata de uma aula de geografia, ou de alguma matéria que trate da organização política mundial, ou mesmo da organização de uma comunidade. Mas, da organização, a partir de minha casa, depois da rua onde moro, do bairro, da cidade...do município. Mas, mais ainda, das questões que fazem o problema do povo do qual falo parte.

"O problema do povo é questão do governo", muitos de nós acreditam nisso, e pode ser verdade, como pode também ser verdade, que seja questão do povo, que escolhe seus representantes,por simpatia, amizade, favor, ou influências adquiridas a partir de uma cultura da "lei da sobrevivência", que pessoas de uma mente individualista, tenta passar, quando dizem: "temos que defender o nosso pão".

Senhores(a), defender o nosso  pão, impedindo que o pão dos que trabalham honestamente, chaguem à mesa dos seus filhos, é no mínimo roubar o direito desses homens e mulheres que lutam de forma digna pela sobrevivência.

Mas, alguém pode perguntar quando é que isso acontece e onde. E eu respondo: Aqui, em minha cidade, ou em qualquer lugar, onde o poder público favorece um pequeno grupo de sustentação ao seu governo, e tenta sujeitar aos outros, exigindo um apoio, em troca de um contrato de emprego, tão flexível, que um simples vento, digamos...de uma votação menor do que a esperada, leva embora.

Não sou oposição a quem quer que seja, e respeito a todos, sobretudo às autoridades constituídas, como prefeito, vereadores e outros...bem como ao judiciário. Não concordo com discursos de grupos de oposição de faz de conta, que busca a qualquer custo tapear a população, que muitas das vezes tem muita culpa disso acontecer.

A luta, senhores(a), deve ser para uma conscientização, não em favor próprio de quem quer que seja, mas coletiva . E  sei que isso é possível, quando eu começar fazer a minha parte. Porque, falar mal do prefeito ou dos vereadores, que nós ajudamos a eleger, é muito fácil, e isso, quase todos nós fazemos. O difícil, é contribuir positivamente para o verdadeiro progresso humano, razão, acredito eu, pela qual estamos aqui. Somos, senhores(a), muitas das vezes, desonestos, mas exigimos que os outros sejam honestos conosco. Infiéis, mas exigimos que o mundo todo seja fiel conosco.

Falamos contra os corruptos, mas, aceitamos a primeira proposta, quando essa nos beneficia, independentemente se vai afetar ou não o outro. E lutamos pela divisão, ou partilha, quando é para os outros dividirem ou artilharem em nosso favor.

Lutemos...! Para ajudar o vizinho, que às vezes está com fome ou sem nada, e nós...eu mesmo, nem sequer sei. Mas falo bonito. Se "errar é humano", melhorar significa aperfeiçoar esse "humano". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário