domingo, 8 de fevereiro de 2015

Nós, nossas ideias, nossos grupos e nossas interrogações.



Venha para o nosso grupo...!
Isso é um convite, não uma intimação. Veja as ideias. Parecem com as suas? Podem se adequar às suas? Se não, o que deve fazer, é respeitá-las. Se você não pode contribuir, não atrapalhe. Se as suas ideias não foram aplaudidas pelos outros, e para você só trouxe fracasso, é sinal de que não sabe tudo, e assim, não pode entender as dos outros. O respeito, se não pode ajudar a construir o mundo, pelo menos te ajuda a ter menos problemas.
Precisamos de um grupo de pessoas conscientizadas, não de recalcadas, frustradas ou cheias de desejo de aparecer às custas dos sonhos dos que acreditam num propósito. Num grupo, as ideias, se entendidas e aceitas, se tornam uma, ou de todos do mesmo.  Mas, se não entendidas e não aceitas, não é a sua. Tenha a dignidade de buscar outras, aprenda que seu doutorado, se é que tem algum, não te dá o direito bagunçar as coisas dos outros.

Olha um pouco para teu passado. Se não fostes um bom exemplo, corrige-te, antes de acreditares que és mestre da moral e da boa conduta. Se construístes uma base na corrupção, como acreditas que podes convencer alguém a esse respeito?

Nenhum comentário:

Postar um comentário