domingo, 13 de setembro de 2015

Aprendi uma coisa: "A culpa de meu azar é minha".


Colocar a culpa na minha mãe, no meu pai, nas amizades, nas influências ou nos adversários...! Eles não fizeram meu azar.

Minha mãe e meu pai...! Eles me puseram no mundo, me deram comida, agasalho, me tiraram do xixi, do cocô e me acalentaram quando eu chorava. E eu o que fiz...? culpei-os por ter nascido! As amizades e suas influências...! Há as influências! Esqueço que eu também podia ter sido um guia, e não precisaria falar mal das influências. Os amigos, esses, em alguns casos, até encobriam minhas erros. Como posso culpá-los por alguma coisa? Se eu fosse analisar com detalhes, deveria me encher de tédio, porque a culpa por meu azar é minha.

Só tem um jeito, como me dizia um instrutor: melhorar. Se a natureza e o Deus da natureza me der mais uns dias por aqui, posso ensinar isso para os rebeldes...como eu, que esqueci de agradecer a todos. Ensinar...? talvez a mim, como primeiro aluno.

Ao invés de combater o erro eu preferi ser o erro.

Um comentário: