segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O mundo dificulta, e nós concordamos!


É impressionante, o quanto somos inseguros, a ponto de aceitar a intervenção e os "nãos" que vêm de fora. E pior que isso, é a gente se propor a ajudar o mundo a nos bloquear. E ao invés de termos seguidores, nos tornamos seguidores do adversário.

Mas, certamente vamos ter a vida todinha para reclamar e colocar toda culpa na mesma vida , que nos fez muito magro ou demasiadamente gordo, baixo ou muito alto, sem inteligência ou sem nenhuma chance.

E assim, vamos seguindo o caminho  e nos esforçando para acreditar na falta de sorte, ou no azar. E quando, já com uma idade bastante avançada, seremos pregadores do que aprendemos a acreditar.

domingo, 22 de novembro de 2015

Mudando de tecla...!


Costumamos, de vez em quando em nossas conversas, falar, "Bater na mesma tecla". Mas, depois de tanto bater, dá para perceber que vai ou não sair a música desejada. Então...talvez, seja a hora de tentar em outra tecla. E não é bom se apegar, a qualquer que seja a tecla, porque pode ser que mais tarde tenha-se que mudar de novo.

Atentando um pouco mais sobre a vida, mais que temos feito, perceberemos que ela é curta e precisamos muitas das vezes correr, porque a mesma vida nos estabeleceu tarefas. E caso não cumpramos, é certo que o castigo virá, e não será para aqueles aos quais vamos atribuir a culpa.

É hora de começar a nadar, porque lá do outro lado haverá uma prestação de contas, quando a justiça divina, da divina natureza, será colocada em prática.

OAB/MA Subseção de Bacabal-Mulheres no comando



A mulher, que a natureza criou como "símbolo de ternura e amor", como diz José de Alencar, no romance de Iracema, adquiriu, também com a mesma natureza, as habilidades para criar a beleza que fascina. Porque antes, lá na caverna,  cuidava da caça que o marido trazia, e assim, aprendeu a dividir para a família, a comida, para que todos comecem e ficassem saciados, porque sua mão mágica tem a ajuda divina.

E agora, como policial, delegada, prefeita, deputada, governadora, presidente da República...e pela primeira vez, presidente da Subseção da OAB/MA, em Bacabal, a mulher, ou as mulheres, são chamadas a contribuir muito mais com o progresso humano. Porque, os problemas da humanidade, que de de acordo com o ABC da bíblia, tiveram início no paraíso, começaram dentro do homem, e por isso o Senhor Deus, "vendo que o homem estava tão só", fez para ele a mulher. (Gênesis, 2). 

Atendendo a sugestão da Dra. Nathusa Chaves, este texto vai para as advogadas de Bacabal. Mas, de modo muito especial, para a presidente da OAB/MA,Subseção de Bacabal, Dra. Marlúcia Viana e a Vice, Dra. Andréia Furtado.






sexta-feira, 20 de novembro de 2015

OAB/MA-Subseção de Bacabal. Um voto na frente...


Em Bacabal/MA, duas chapas travaram uma disputa bastante acirrada. A chapa 16 com o lema: "Unidos pela Ordem", que tinha como candidata a presidente, a Dra. Marluce, e como vice, Dra. Andreia, venceu com um voto na frente. A outra chapa foi a 17 com o lema: "A Ordem é mudança", que tinha como candidato a presidente, o Dr. Gilson  e como vice, Dra. Alexandrina.

Dos 167 Advogados que estavam aptos a votar, 141 compareceram. As chapas 16 e 17 dividiram em partes iguais 140 votos. E 1(hum), como não dava para dividir,  uma das chapas tinha que ganhar. no caso, a chapa 16 foi a contemplada.
O que chamou a atenção, desde o início da votação até o  final, e até mesmo na comemoração, foi a harmonia, apesar da disputa. E isso vamos ver nas fotografias  tiradas.
















































































quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Formatura do Eja nível 1


Educação de jovens e adultos - EJA. É um programa do FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

O Governo Federal, buscando atender uma proposta global, encaminha ao município a tarefa, para que os jovens e adultos que por algum motivo não puderam estudar na época certa,  agora, tendo que trabalhar, têm ainda uma chance de elevar seu conhecimento escolar.

O aluno, muitas das vezes se sente no ponto mais alto de sua vida, quando, depois de uma certa idade, sem saber ler, e nem escrever, consegue um pouco disso. Na formatura a qual nos reportamos, temos um destaque: O conhecido "Gordo da pipoca", que vive financeiramente  da venda de pipoca, fabricada por ele e sua família, conseguiu um Certificado, fez um discurso, chamou a atenção de todos  e consegue com isso  ser um bom exemplo para muita gente.

Em Bacabal, 253 alunos concluíram a etapa I do EJA. A formatura aconteceu nessa 5ª feira, no Centro de Convivência dos Idosos.

Aqui estão algumas fotos:












terça-feira, 17 de novembro de 2015

O que fazer...para ser feliz?


Depois de um certo tempo de caminhada pode-se concluir: a luta maior, ou a maior preocupação é ser feliz. Trabalha-se 24 horas por dia, para isso, ou pelo menos, acreditando que é para isso.

O que viria a ser felicidade...? cada um de nós, certamente tem uma resposta. Todas as respostas podem está corretas...ou não, depende de quem formula a pergunta e de quem a responde.

O filósofo, que passou alguns anos numa faculdade de filosofia, certamente tem uma resposta. O lavrador, que planta e colhe e que não precisou necessariamente de um curso de técnicas agrícola, também tem uma resposta. Os homens que deixaram suas marcas neste planeta deixaram suas respostas. O maior líder do Cristianismo, passou 33 anos ensinando isso. Quando por exemplo, os discípulos chegaram a Ele, para dizer que seria melhor mandar uma multidão ir embora para comprar comida, pois já estava anoitecendo, Jesus disse-lhes: "Deem vocês mesmo  a eles o que comer". "No mundo tereis aflições. Mas, coragem, eu venci o mundo". Quando chegou à casa de Lázaro, o amigo que estava morto há quatro dias, a irmã de Lázaro disse: "Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido". Teu irmão ressuscitará, disse Jesus. Senhor, disse ela, sei ele ressuscitará no ultimo dia. Mas ele disse: "Quem crer em mim, ainda que esteja morto, viverá".

Ouvindo o que Jesus dizia, deduz-se, que a felicidade consiste na vitória final. Porque, enquanto homens e mulheres que somos, respirando a ar e usufruindo de todas as fontes de vida da natureza, convivemos com a preocupação e o medo da morte, porque, como dizia Salomão, o rei mais sábio de Israel, "Tímidos são os pensamentos dos mortais e incertas as nossas concepções, porque o corpo corruptivo torna pesada a alma e a morada terrestre oprime o espírito carregado de cuidados".

Em determinados momentos experimentamos um pouco de felicidade. Quando ajudamos alguém por exemplo, com um pouco de socorro, um pouco de comida ou quando lhe mostramos o saída, quando ele se encontrava perdido.

O que fazer...para ser feliz...?

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Desejo Ardente




Na manhã seguinte ao grande incêndio de Chicago, um grupo de comerciantes estava na rua State, vendo os escombros fumegantes do que tinham sido suas lojas. Fizeram uma conferência para resolver se tentariam reconstruir, ou se deixariam Chicago, para começar outra vez, numa parte mais promissora do país. Chegaram à decisão – todos, exceto um – de deixar Chicago.

O comerciante que resolvera ficar e reconstruir apontou o dedo para as ruínas de sua loja e disse: “Senhores, nesse mesmo lugar construirei a maior loja do mundo, não importando quantas vezes ela possa incendiar-se.”

Isso foi há quase um século. A loja foi construída. Lá está ela hoje, monumento altaneiro ao poder do estado de espírito conhecido como desejo ardente. Teria sido muito mais fácil para Marshall Field fazer o que seus colegas comerciantes fizeram. Quando as coisas ficaram pretas e o futuro parecia sombrio, arrumaram as malas e foram para onde as coisas pareciam mais fáceis. (do livro Pense e enriqueça de Napoleon Hill)



Resolvi postar um pedaço de uma história, contada por Napoleon Hill, autor de várias coleções de sucesso, nos Estados unidos e no mundo. Tantos homens, que como ele, antes de partir, nos deixaram algo que nos permite ver seus rastros...que nos sugere, também deixar os nossos, não morrerão, como não morreu Jesus Cristo. Nossas riquezas, da mente, que alimentarão a muitos, e não  num futuro distante, recebemos do Criador, para distribuir.

Às vezes falamos muito


Depois de algum tempo a gente percebe que fala muito. Nada contra quem fala muito, até porque eu estou falando de mim mesmo.

Olhamos ao nosso redor e encontramos gente com sugestões para oferecer ao outro, com conselhos e mesmo sermões. O problema é que muitas das vezes não temos nenhuma outra atitude. E nossas palavras parecem ventos quentes. Reclamamos de tudo e de todos, enquanto o vizinho pode está passando fome, ou com uma conta de luz, de água, ou com uma receita médica, e sem dinheiro para tudo isso.

Valorizamos muitas das vezes os que estão bem distantes...e deixamos os de perto, ou até os da nossa família com fome. Cometemos muitos erros sim, mas, um certo dia precisamos nos encontrar conosco, e quem sabe, fazer uma crítica a nós mesmos.

Criticar a mim mesmo, e só isso, também não vai fazer mudar nada. Eu preciso ser sincero, para que eu, e o mundo ganhe com isso. Muitos estão precisando de nós e não de nossa poses ou de nossa demagogia.

Estamos nos pintando das cores da França, porque queremos e devemos demonstrar solidariedade para com os irmãos de uma pátria do outro lado do oceano atlântico. Isso mostra o nosso lado bom. E nem vamos querer saber se os franceses se pintaram de verde e amarelo quando centenas de pessoas morreram queimadas e sufocadas numa boate no Rio Grande do Sul. Em nosso pais, muitos morrem de fome e não sei qual outra nação se solidariza com isso. E não preciso dizer que não sei das muitas ajudas que estrangeiros têm mandado para o Brasil. E não sabemos quanto e nem em quais circunstâncias isso tem acontecido, ou até quanto foi desviado dessas ajudas.

Nada contra, senhores(a), só estou fazendo uma crítica, que se direciona em primeiro lugar a mim. Que nossas demagogias não nos faça morrer de fome.

domingo, 15 de novembro de 2015

15º Festival da pipoca em Bacabal


O Festival da pipoca foi idealizado pelo nosso popular Gordo da pipoca, há exatamente 15 anos. Ele, que conseguiu popularidade vendendo pipoca, resolveu proporcionar algo bem maior, e assim, veio o festival da pipoca

Aqui  algumas fotos do evento...