segunda-feira, 14 de março de 2016

O assunto do momento é a corrupção...


Do latim corruptus, que significa quebrado em pedaços. Tornar pútrido. Tornar podre, estragado. Aquilo que corrompe, que estraga, é corrupto.

Ultimamente o Brasil todo tem presenciado um desfecho de atos de corrupção na política partidária, que aliás, vem de muito tempo. Talvez com a chegada das frotas de Pedro Alvares Cabral, composta por muita gente sem muito prestígio no país de onde estavam vindo.

Diz-se que cada povo tem o governo que merece. Isso, senhores (as), é muito difícil de ser contestado. Basta analisar que povo é esse, do qual fazemos parte. Do qual eu faço parte.

Hoje, dia 14 de março, ainda se comenta sobre a grande manifestação de ontem, dia 13 que aliás se fala nos noticiários das emissoras de TV que foi o maior do país, sendo maior inclusive que a luta pelas "Diretas Já, no final do governo do general João Batista Figueiredo.

Somos, senhores (as), obrigados a meditar na intensidade do que estamos chamando de corrupção. Pior ainda, é ter que convir, que nós, o povo... eu mesmo, sou tão corrupto quanto aos homens e mulheres, cujos nomes são publicados nos meios de comunicação do nosso e dos outros países.

Nós,que hoje estamos aos gritos, pedindo a cadeia para os corruptos, temos que torcer para que não chegue a nós essa cadeia.  

Se nos perguntarmos de onde está vindo nosso salário, de onde e como veio nosso contrato de emprego, às custas de quem eu recebi um contrato no serviço público, qual foi a pessoa ou grupo que usei, para conseguir o emprego que tenho...vale analisar.

O poder, senhores (as), que controla a humanidade, não é uma santidade. Em qualquer lugar onde esteja ele, lá está também um foco da corrupção. Até nas igrejas, cuja missão é evangelizar. Lá onde tem gente, lá está a possibilidade de corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário