sábado, 2 de abril de 2016

Às vezes precisamos comentar



Pagamos tudo mesmo! O sr. Aécio, por exemplo, com seu partido, PSDB, o sr. Temer, com seu PMDB, o PT e todos os outros partidos, assim como todos os que têm cargo público, é o povo que paga.

A corrupção é tão grande, que o PMDB, sempre correu atrás dos cargos do governo, porque, a única vez, pelo menos depois do governo do regime militar, que assumiu, foi quando Tancredo Neves, avô de Aécio, ganhou a eleição, quando concorreu com o sr. Paulo Maluf. E nem foi uma eleição direta. E mesmo assim, quem governou foi o criador do antigo PDS, o sr. José Sarney.

Agora os peemedebistas gritam "fora Dilma", porque o "barco" foi balançado por uma tempestade conhecida, mas que não tinha tido ainda uma atenção especial dirigida contra ela. Isso porque, os "donos do poder" não aceitavam. Mas, entrou um quase analfabeto para governar o país e foi escolhido pela maioria, por isso que está com quase 14 anos no mandato. E de acordo com o que foi noticiado pelos meios de comunicação, esse quase analfabeto deu autonomia aos que têm a competência de investigar, e que agora o fazem. 
E agora, acreditando na queda do governo do qual fizeram parte, se promoveram, proporcionando milhares de empregos aos parentes e amigos, eles, os peemedibistas pregam para o povo, a moral, a honestidade e a libertação do maior mal, que está servindo de comercial para a mídia da elite..a corrupção.

Como dizia o deputado Justo Veríssimo, personagem do saudoso Chico Anízio, no Balança mais não cai, "o povo é quem não aceita uma". Mas ainda torce, briga, defende e até se oferece para pegar pancadas no lugar do candidato de sua simpatia, não importanto, na moioria das vezes, se é ou não corrupto. 

Nos organizar, senhores (as), talvez seja a solução, não para ficar contra quem quer seja, mas para vencermos de verdade aquilo que achamos feio no outro...a corrupção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário