quarta-feira, 6 de julho de 2016

Decidir para onde quer ir, pode ser o primeiro passo...ou não.


Para evitar deslizes, escorregões e tropeços, pode ser necessário montar uma base mais ou menos segura. Daí em diante, dependendo do projeto, a euforia sem freio pode não servir muito.

Mas, para onde, você, ou eu...ou não interessa quem...para onde queremos ir? Isso, talvez seja o primeiro passo.

Nada de certeza, ou de regras gerais para o que quer que seja, apesar dos professores e de seus ensinamentos, porque, talvez eu tenha preparado outro roteiro para o meu papel da peça, que parece que o mundo escreveu para mim.

E enquanto, a minha concepção não determina nada, no que diz respeito à garantia do que me ensinaram, vou plantando e procurando colher. E na proporção dos espinhos e dos tocos vou procurando limpar para passar, porque isso pode facilitar, ou atrasar... a minha chegada. E assim, o ideal que cada  um tem, seja mesmo o fator determinante pelas alegrias e realizações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário