domingo, 25 de dezembro de 2016

Uma recordação... no Natal



Há exato um ano, mais ou menos por esta hora, às seis da tarde, o corpo de minha mãe estava sendo sepultado. A notícia me veio por volta das dez da manhã de 25 de dezembro(2015). Acordei com o toque do celular. Eu havia participado de uma meia noite de Natal, por isso ainda dormia naquele momento.

A hora exata que minha mãe faleceu, não sei, mas fui informado que foi por volta dos primeiros 30 minutos de 25 de dezembro. Passavam 30 minutos portanto, da meia noite. E eu associei a informação do momento da sua morte, com um sentimento de mal-estar que tive, mais ou menos naquele horário. Um cansaço, acompanhado de uma aceleração cardíaca estranha, me sobreveio. Foi um aviso. Algo talvez que não se possa explicar aconteceu.

Um pouco mais de 2 meses para completar 84 anos de idade! Depois de várias complicações de saúde, com um organismo que cada dia ficava mais debilitado, se completavam assim os dias de minha mãe, por aqui entre a gente.

O significado do Natal, senhores (as), que é o título deste texto, e que parece a princípio, não ter muito, ou nada, a ver com o que hora narro, é na realidade algo que fala de um nascimento do Homem que o mundo conheceu há um pouco mais de 2 mil anos. Que mudou a história da humanidade, além de dividir em duas partes, a contagem dos anos: a.C e d.C. E falo aqui da morte do corpo físico...debilitado e incapaz de abrigar o espírito de vida, que o criador determinou que assim fosse. E essa morte, é nada menos, que o nascimento, de acordo com a bíblia, para a eternidade.





Nenhum comentário:

Postar um comentário