terça-feira, 13 de junho de 2017

O batizado do Boi Brilho de Bacabal



Aconteceu nessa ultima sexta feira (12), o batizado do boi brilho de Bacabal. Um batizado simbólico, porque, como disse o o sacerdote, enquanto seguia...digamos, o ritual, não é um batizado de gente. Mas, uma bênção que serve aos brincantes do boi, que certamente receberão como uma paz de espírito, que  levarão aos "terreiros" onde cegarem para se apresentarem.

Uma manifestação cultural e folclórica, é algo que pertence ao povo. E por isso é cultura. E o bumba boi, que nasceu na estória do fazendeiro que comprou um boi famoso, como se diz no linguajar caipira, e e entregou ao seu seu vaqueiro, chamado de Pai Francisco, e deu a ele as orientações para que tivesse os devidos cuidados com o animal. 

Até que a esposa de Pai Francisco, Catirina, que estava grávida, ao ver o boi, teve um desejo incomum, de comer sua língua. E Pai Francisco, homem humilde, mas honesto entrou em conflito consigo mesmo: Cometeria um crime em relação ao patrão ou aceitaria sua esposa correr o risco de perder o filho, ou no minimo deixá-lo nascer com a cara de boi.. ou coisas assim.

E vence o desejo de Catirina, a língua do boi foi tirada. . Até que chega o fazendeiro, que ao sentir falta de seu boi de estimação, quiz saber o que tinha acontecido. E o homem humilde, honesto e muito amoroso, teve que contar tudo.

É aí que entra a figura do pagé da tribo indígena, que é chamado para curar o boi. Uma vez curado, o patrão, em agradecimento resolveu dar uma festa, que se chamou a festa do boi.

No Maranhão temos o bumba meu boi como uma das maiores expressões culturais. Com três sotaques mais conhecidos: Matraca e pandeirões, Zabumba e Orquestra.

E para a cultura de Bacabal, o ritimo de Orquestra, ocupa um espaço maior, porque chama a atenção da população, pelo brilho, pelas toadas e pela exuberância das índias, que encantam com sua dança e beleza. 




















































Nenhum comentário:

Postar um comentário